segunda-feira, 29 de maio de 2017

A criação de cavalos


Há cerca de 70 milhões de anos, a Terra começava a viver no período conhecido como Eoceno. em que surgiram os primeiros animais mamíferos. Entre eles estava o chamado eohíppus (em grego, "aurora do cavalo"), do tamanho de um pequeno cachorro atual. que habitava a América do Norte. Da América. atravessando o estreito de Behring, que fica entre o Alasca e a Asía, o eohíppus chegou à região do Himalaia. onde se instalou e foi sofrendo adaptações. crescendo até assumir as características dos atuais cavalos. Na América não sobrou nenhum descendente do animal pré-histórico, e os cavalos só vieram para cá trazidos por colonizadores. O nome científico da espécie é Equus cabalus. Havia três subespécies primitivas: o Equus cabalus africanus. também chamado Equus przewalski. o cavalo das estepes. do qual descende o cavalo da península Ibérica e o bérbere (do norte da África). que ainda existe em estado selvagem na Mongólia: o Eqqus cabalusasiatícus, o cavalo do deserto. que originou o cavalo árabe: e o Equus cabalus occidentalis ou Equus robustus, o cavalo das florestas, que deu origem aos cavalos de tração da Europa Central. As primeiras indicações de domesticação do cavalo datam de cerca de 35 mil anos na Ásia Central. Inicialmente foi domesticado para fins de carne, sendo usado mais tarde para tração e depois como montaria. Na mitologia grega simbolizava a guerra. indicando a importância que acabou assumindo como montaria para combates. De fato. até o surgi-mento das modernas máquinas de guerra. o cavalo foi decisivo em diversos momentos importantes da História, para decidir disputas. A qualidade da cavalaria diferenciava os exércitos. Ainda na Antiguidade, era usado para o lazer. em corridas ou para equitação. por chineses. rnongóís e outros povos orientais. Assírios. fenícios e persas já realizavam corridas. que foram copiadas mais tarde. Roma realizava as famosas corridas de bigas (carros puxados por cavalos). A origem das raças - Quando começou a se espalhar pelo mundo. o animal foi encontrando condições ambientais muito diferentes das de sua região de origem. e foi adaptando-se a elas. A própria natureza. selecionando os espécimes mais fortes. se encarregou de promover as alterações genéticas e selecionar as primeiras raças. Depois. o homem começou a interferir nesse processo, procurando reunir características de uma determinada raça com as de outras. visando obter animais que se prestassem aos seus interesses: tração. corrida. salto etc. Além disso. animais de uma mesma raça. levados para locais diferentes. acabaram formando novas raças. mais adaptadas ao novo ambiente, mesmo sem cruzamentos. Puros-sangues - Originários do planalto central da Ásia, provavelmente da Mesopotâmia, região entre os rios Tigre e Eufrates. Os animais do mais alto nível são criados na Polônia, Estados Unidos, União Soviética e Egito. Barbo - Ou africano, berbérico, barbaresco, mongol ou mongólico. Originário da Ásia Central . Alter - Tem origem na raça barbo e se de-senvolveu em Portugal. É animal de sela, com influência de raças nacionais em sua formação. Anglo-árabe - Um pouco maior que o árabe (média de altura de 1,52 a 1,60 metro), mas de conformação parecida e as mesmas qualidades. Andaluz - Também chamado puro-san-gue-da-idade-média, esse cavalo espanhol foi bastante difundido pela Europa. Tem aparência uniforme, de linhas bem confor-madas e harmônicas. Lusitano - O cavalo de Portugal é seme-lhante à raça andaluz, chegou ao Brasil na década de 70 e impressionou pela silhueta, aprumos perfeitos e temperamento dócil. Utilizado no hipismo, realiza andamentos como passo, marcha trotada, trote e galope e sela. Tem estatura média de 1,52 a 1,54 metro, pesando de 450 a 500 quilos. As pe¬lagens mais freqüentes são a tordilha, casta¬nha e alazão Bretão - Originário da Bretanha, noroeste da França, apresenta três variedades: breão-do-norte, de tiro pesado ou grande-bretão; bretão-do-sul, postier ou norfolk, de tiro médio; e o bretão-das-montanhas, bidê ou pequeno Percherão - Originário da região francesa de La Perche. Persa - Originário do Golfo Pérsico (Munjid). Animal de talhe grande é utilizado sem sela para demonstrações circenses. Quarto-de-milha - Ou quarter horse. Originário da Virgínia e Carolina do Sul, Estados Unidos, espalhou-se pelos países americanos do Norte e do Sul. É rústico, resistente, com aptidão para montaria. Pode agüentar climas áridos e relevo montanhoso. Apaloosa - Esses cavalos pintados, origiundos do noroeste dos Estados Unidos e usados pelos índios nezperce, em Idaho, são animais de porte médio, com peso de 400 a 500 quilos e altura de 1.40 a 1.55 metro. Hanoverano - Originário da Alemanha (Hanover), é compacto, com músculos bem conformados e membros longos e fortes. Morgan - Originário da Nova Inglaterra, Estados Unidos, no século XVIII. Orloff - Chamado de trotador russo, é originário da União Soviética e apresenta corpo delgado e elegante, bons aprumos e canelas curtas, com altura variando de 1,55 a 1,70 metro e peso de 500 a 580 quilos. Trackehnen - Criada na Prússia Oriental. é uma raça grande e robusta, enérgica e dócil. Lipizzano - Originário da Espanha. esse animal escuro ou preto vai se tomando claro com a idade, embora haja pelagens alazã e preta. Mangalarga - Iniciada pelo barão de AIfenas. da família Junqueira. com infusão de sangue aI ter e andaluz. Apresenta duas va-riedades. a paulista (trotador) e a mineira (marchador). Crioula - Originária do Rio Grande do Sul, mas já bem difundida na região Centro-Sul. Tem altura média de 1.40 a 1,50 metro e peso de 400 a 500 quilos. São animais fortes e cheios. com membros bem desenvolvidos e variedade de pelagens em que predominam os baios, gateados, alazões aleonados. mouros, rosilhos, lobunos e alazões tostados. Campolina - Originária de Minas Gerais e difundida em São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo Pantaneiro - Ou curraleiro. Da região do Pantanal mato-grossense, mas já difundido pela região Centro-Oeste.

SAIBA MAIS SOBRE CAVALOS AQUI

terça-feira, 23 de maio de 2017

Como fazer enxertia de plantas

Guia Prático de Enxertia, como o próprio título já diz, este é um GUIA PRÁTICO para você aprender a usar a técnica mais adequada de enxertia de plantas, na época certa, para a produção de mudas frutíferas, florestais e ornamentais, e que respeitem o padrão da legislação brasileira. Conheça as diferentes técnicas para obter sucesso na enxertia de frutíferas e outras espécies vegetais. Um verdadeiro Manual da Enxertia.

Conteúdo:
-Técnicas de enxertia
-Enxertia
-Garfagem Herbácea
-Enxertia
-Garfagem Lenhosa
-Enxertia
-Borbulha
-Sobreenxertia.

Duração aproximada: 50 Minutos.

Consultoria: Prof. Flávio Zanette - Universidade Federal do Paraná

SAIBA MAIS SOBRE ENXERTIA AQUI

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Sistema de Treinamento Vaquejada


Treinamento de Vaquejada

O cavalo de vaquejada deve ser treinado para obter o melhor rendimento nas pistas. Aprenda como fazer um treinamento específico para vaquejada, após você ter passado pelos exercícios de rédeas, conseguindo assim o controle do seu cavalo é hora de partir para os treinos de pista. Isto é importante porque você irá preparar seu cavalo na cancela, na corrida e até a faixa de derrubada do boi. Este treinamento faz parte da rotina de Steve Bezerra em seu centro de treinamento com os cavalos de vaquejada. Com ele você vê, você faz!

CONTEÚDO;  


1 - Introdução do potro no gado (trilhar)
2 - Exercícios de cancela
3 - Alinhar o cavalo no boi de ambos os lados
4 - Exercícios de escantear
5 - Definir lado
6 - Ensinar o potro a abrir trocando de mãos com velocidade
para derrubar o boi.

Consultoria:

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador de Cavalos
Saloá - PE

Duração aproximada: 55 minutos

O Sistema de Treinamento de Cavalos de Vaquejada no Centro de Treinamento de Steve Bezerra é realizado com as técnicas conferidas e aprovadas por este grande profissional. Steve, como é chamado pelos amigos é Zootecnista e Vaqueiro dos bons, o que lhe garante um bom conhecimento da vaquejada e dos cavalos. Com seu olho clínico sabe escolher animais que tem grande potencial para as pistas. Viaja pelo Brasil em busca de grandes exemplares, principalmente cavalos da Raça Quarto de Milha, raça que predomina neste meio. Fora esta atividade de treinos ele ainda participa em leilões, participa do Núcleo Integrado do Cavalo (NIC), alem de promover cursos em quase toda a região Nordeste do Brasil.

SAIBA MAIS SOBRE VAQUEJADA CLICANDO AQUI