sexta-feira, 28 de abril de 2017

CAVALGAR, NOSSA PAIXÃO

CAVALGAR, NOSSA PAIXÃO, apresenta narrativas com o sentimento, ou melhor, a paixão de nossos convidados por uma ou mais cavalgadas que realizaram.
Você vai conhecer 33 pessoas, com diferentes perfis, que são apaixonadas por cavalgadas. Elas se transformaram em personagens e narram suas experiências, contam fatos inusitados e excepcionais, partilhando o que encontraram em diferentes destinos visitados a cavalo.
Todos realizaram viagens que justificam estarem neste livro. Agradeço suas participações e, homenageando a todos, destaco a história do Pedro Aguiar, que teve suas longas viagens a cavalo pelo Brasil transformadas em feitos históricos. Ele levou sua paixão por cavalgar ao extremo, a um outro patamar. Ele é minha referência!
Nosso objetivo é que essas histórias e experiências sirvam de inspiração para todos aqueles que comungam da paixão por cavalgar.

>> O prazer, a sensação de cavalgar e a própria presença do cavalo na história do ser humano são tão profundos que podem ser considerados como parte de nossa memória genética. Cavalgar é uma atividade milenar; é também uma arte, é voltar às origens e sentir-se próximo da natureza.
Eu agradeço a Deus pela possibilidade de ter uma atividade que me permite estar sempre cavalgando em lugares maravilhosos, além de poder proporcionar a pessoas que gostam de ca-valos a oportunidade de conhecer, a cavalo, os melhores destinos do Brasil e do mundo.
Decidi editar este livro para compartilhar as experiências e sentimentos de amigos que têm em comum a paixão por cavalgar. Convidei a Jacira Omena, editora do Portal Viajar a Cavalo, para, como coeditora, me auxiliar nesta tarefa.
Paulo Junqueira Arantes
Diretor da Agência Cavalgadas Brasil

>> Editor: Paulo Junqueira Arantes
Coeditora: Jacira Omena
Redação: Jacira Omena e Paulo Junqueira Arantes
Revisão de texto: Sonia Glodis
Projeto Gráfico e editoração: Vera Andrion DRT-PR 10260
Fotos: Pág. 28,29,30 e 31 – Roberto Freitas, Roneijober Andrade, Ricardo Naschold,Ney Messi; pág. 57 – Ricardo Bacellar Wuerkert; pág. 60 e 61 – Valdemir Cunha;pág. 62,63,64, 76 e 78 – Eduardo Rocha; pág. 65, 66, 67 e 68 – Luiz Carlos Duarte;pág. 86 e 88 – Dirceu Martins, Lídia Muradás; pág. 87 e 89 – Sergio Ronco;pág. 90 – Modesto Wielevick e pág. 8,9,10, 14,15,16,44,46,47,48,49,50,69,70,71 e 72 – Paulo Junqueira Arantes.

saiba mais sobre cavalgadas aqui

COMO FAZER CASQUEAMENTO E FERRAGEAMENTO EM CAVALOS

Aprenda a fazer o ferrageamento em cavalos, método a frio e a quente, com o Medico Veterinário Fábio Furquim Correa.

Parte 1 - CASQUEAMENTO BÁSICO
Capítulo 1 - Membros locomotores
Capítulo 2 - O casco
Capítulo 3 - Casqueando 1º cavalo
Capítulo 4 - Casqueando 2º cavalo
Capítulo 5 - Casqueando 3º cavalo com o uso do nível
Capítulo 6 - Casqueando 4º cavalo com aguamento crônico

PARTE 2 - FERRAGEAMENTO BÁSICO
Capitulo 7 - A ferradura
Capítulo 8 - As ferramentas
Capítulo 9 - Os cravos
Capítulo 10 - Retirar e recolocar uma ferradura
Capítulo 11 - Ferrageamento simples no anterior
Capítulo 12 - Guarda casco
Capítulo 13 - Ferrageamento a quente no posterior com guarda casco na pinça
Capítulo 14 - Ferrageamento a quente no posterior com guarda casco lateral
Capítulo 15 - O que é justura
Capítulo 16 - Modificações em ferraduras

SAIBA MAIS SOBRE O FERRAGEAMENTO E CASQUEAMENTO

3 TAMBORES TREINANDO COM MARINALDO PEGOS

3 Tambores ou no popular, Tres tambor , é  conjunto de 2 DVD´s onde você aprende com o treinador Marinaldo Pegos os exercícios que ele realiza no seu dia a dia de treinos em seu rancho na cidade de Martinópolis – SP. O curso é focado no treino com tambores na pista. Onde se corrige os problemas que acontecem com os cavalos quando estão no percurso. Tudo é explicado na prática, ou seja, vai fazendo e mostrando o erro e como corrigir. No final você se torna um grande especialista!

Três Tambores é uma modalidade  praticada por homens e mulheres desde as pequenas idades. Podemos ver nas provas famílias inteiras reunidas em torno deste universo que é o cavalo. Pais torcendo pelos filhos ou o inverso! é muito bonito de ser ver, vale a pena entrar nesta modalidade!

CONTEÚDO:

PARTE 1:

Capítulo 1 – Equipamentos (selas, arreios, cabeçadas)

Capitulo 2 – Exercícios de Rédeas ( aqui é mostrado um pouco do que se faz antes de entrar na pista com os tambores)

Capitulo 3 – Treinamento de Potros de 2 anos

Capitulo 4 – Treinamento de Potro de 3 anos

Duração aproximada:   50 minutos

PARTE 2

Capítulo 5 – Correção com o uso dos 5 tambores (este tipo de exercício poupa tempo do treinador)

Capítulo 7 – Treinamento de Cavalos Prontos

Capítulo 8 – Corridas em provas e centro de treinamento (muita emoção)



Duração aproximada:  40 minutos



Consultoria: Treinador Marinaldo Pegos - Pegos Ranch



O Pegos Ranch é uma propriedade que está localizada na scidade de Martinópolis, Estado de São Paulo, bem próxima a Presidente Prudente. Sua infraestrutura é bem formada. Tendo boas pistas de treinos. Possui confortáveis cocheiras onde os animais podem estar abrigados e receberem a boa alimentação e água fresca. Possui amplas pastagens o que propicia conforat´veis passeios com os animais, o que contribui para os treinos de pista.

Cursos on line sobre Cavalos aqui

terça-feira, 18 de abril de 2017

O Cavalo

Saiba mais sobre Cavalos aqui
Há cerca de 70 milhões de anos, a Terra começava a viver no período conhecido como Eoceno. em que surgiram os primeiros animais mamíferos. Entre eles estava o chamado eohíppus (em grego, "aurora do cavalo"), do tamanho de um pequeno cachorro atual. que habitava a América do Norte. Da América. atravessando o estreito de Behring, que fica entre o Alasca e a Asía, o eohíppus chegou à região do Himalaia. onde se instalou e foi sofrendo adaptações. crescendo até assumir as características dos atuais cavalos. Na América não sobrou nenhum descendente do animal pré-histórico, e os cavalos só vieram para cá trazidos por colonizadores. O nome científico da espécie é Equus cabalus. Havia três subespécies primitivas: o Equus cabalus africanus. também chamado Equus przewalski. o cavalo das estepes. do qual descende o cavalo da península Ibérica e o bérbere (do norte da África). que ainda existe em estado selvagem na Mongólia: o Eqqus cabalusasiatícus, o cavalo do deserto. que originou o cavalo árabe: e o Equus cabalus occidentalis ou Equus robustus, o cavalo das florestas, que deu origem aos cavalos de tração da Europa Central. As primeiras indicações de domesticação do cavalo datam de cerca de 35 mil anos na Ásia Central. Inicialmente foi domesticado para fins de carne, sendo usado mais tarde para tração e depois como montaria. Na mitologia grega simbolizava a guerra. indicando a importância que acabou assumindo como montaria para combates. De fato. até o surgi-mento das modernas máquinas de guerra. o cavalo foi decisivo em diversos momentos importantes da História, para decidir disputas. A qualidade da cavalaria diferenciava os exércitos. Ainda na Antiguidade, era usado para o lazer. em corridas ou para equitação. por chineses. rnongóís e outros povos orientais. Assírios. fenícios e persas já realizavam corridas. que foram copiadas mais tarde. Roma realizava as famosas corridas de bigas (carros puxados por cavalos). A origem das raças - Quando começou a se espalhar pelo mundo. o animal foi encontrando condições ambientais muito diferentes das de sua região de origem. e foi adaptando-se a elas. A própria natureza. selecionando os espécimes mais fortes. se encarregou de promover as alterações genéticas e selecionar as primeiras raças. Depois. o homem começou a interferir nesse processo, procurando reunir características de uma determinada raça com as de outras. visando obter animais que se prestassem aos seus interesses: tração. corrida. salto etc. Além disso. animais de uma mesma raça. levados para locais diferentes. acabaram formando novas raças. mais adaptadas ao novo ambiente, mesmo sem cruzamentos. Puros-sangues - Originários do planalto central da Ásia, provavelmente da Mesopotâmia, região entre os rios Tigre e Eufrates. Os animais do mais alto nível são criados na Polônia, Estados Unidos, União Soviética e Egito. Barbo - Ou africano, berbérico, barbaresco, mongol ou mongólico. Originário da Ásia Central . Alter - Tem origem na raça barbo e se desenvolveu em Portugal. É animal de sela, com influência de raças nacionais em sua formação. Anglo-árabe - Um pouco maior que o árabe (média de altura de 1,52 a 1,60 metro), mas de conformação parecida e as mesmas qualidades. Andaluz - Também chamado puro-sangue-da-idade-média, esse cavalo espanhol foi bastante difundido pela Europa. Tem aparência uniforme, de linhas bem conformadas e harmônicas. Lusitano - O cavalo de Portugal é semelhante à raça andaluz, chegou ao Brasil na década de 70 e impressionou pela silhueta, aprumos perfeitos e temperamento dócil. Utilizado no hipismo, realiza andamentos como passo, marcha trotada, trote e galope e sela. Tem estatura média de 1,52 a 1,54 metro, pesando de 450 a 500 quilos. As pelagens mais freqüentes são a tordilha, castanha e alazão Bretão - Originário da Bretanha, noroeste da França, apresenta três variedades: breão-do-norte, de tiro pesado ou grande-bretão; bretão-do-sul, postier ou norfolk, de tiro médio; e o bretão-das-montanhas, bidê ou pequeno Percherão - Originário da região francesa de La Perche. Persa - Originário do Golfo Pérsico (Munjid). Animal de talhe grande é utilizado sem sela para demonstrações circenses. Quarto-de-milha - Ou quarter horse. Originário da Virgínia e Carolina do Sul, Estados Unidos, espalhou-se pelos países americanos do Norte e do Sul. É rústico, resistente, com aptidão para montaria. Pode agüentar climas áridos e relevo montanhoso. Apaloosa - Esses cavalos pintados, originados do noroeste dos Estados Unidos e usados pelos índios nezperce, em Idaho, são animais de porte médio, com peso de 400 a 500 quilos e altura de 1.40 a 1.55 metro. Hanoverano - Originário da Alemanha (Hanover), é compacto, com músculos bem conformados e membros longos e fortes. Morgan - Originário da Nova Inglaterra, Estados Unidos, no século XVIII. Orloff - Chamado de trotador russo, é originário da União Soviética e apresenta corpo delgado e elegante, bons aprumos e canelas curtas, com altura variando de 1,55 a 1,70 metro e peso de 500 a 580 quilos. Trackehnen - Criada na Prússia Oriental. é uma raça grande e robusta, enérgica e dócil. Lipizzano - Originário da Espanha. esse animal escuro ou preto vai se tomando claro com a idade, embora haja pelagens alazã e preta. Mangalarga - Iniciada pelo barão de AIfenas. da família Junqueira. com infusão de sangue aI ter e andaluz. Apresenta duas variedades. a paulista (trotador) e a mineira (marchador). Crioula - Originária do Rio Grande do Sul, mas já bem difundida na região Centro-Sul. Tem altura média de 1.40 a 1,50 metro e peso de 400 a 500 quilos. São animais fortes e cheios. com membros bem desenvolvidos e variedade de pelagens em que predominam os baios, gateados, alazões aleonados. mouros, rosilhos, lobunos e alazões tostados. Campolina - Originária de Minas Gerais e difundida em São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo Pantaneiro - Ou curraleiro. Da região do Pantanal mato-grossense, mas já difundido pela região Centro-Oeste.

Tudo sobre Equinos é aqui, confira!


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Coleção Laço em Dupla


O melhor do Laço em Dupla agora em Kit!

DVD 1 - Laço em Dupla - Peseiro - com Rafael Paoliello
DVD 2 - Laço em Dupla - Cabeceiro - com Ricardo Bassetto (Cuca)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

A Vaquejada

VAQUEJADA 
Consultores: Treinador Steve Bezerra (do 1 ao 5) e Edeilton Ramos (6)
Vídeos filmados em Saloá e Garanhuns - PE.
1- DVD - Doma Racional para cavalos de Vaquejada – Com 3 Discos
2- DVD - Treinamento Básico de Rédeas para Cavalos de  Vaquejada – Com 01 Disco
3- DVD - Sistema de Treinamento para cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
4- DVD - Correção de cavalos de Vaquejada – Com 01 Disco
5- DVD  - Arreios para Cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
6 - DVD - Vaquejada Somente com Arreios de Boca - Nova técnica - com 1 disco

SAIBA MAIS SOBRE VAQUEJADA AQUI