quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Correção de Cavalos de Vaquejada

Em Correção de Cavalos de Vaquejada, você aprende com o treinador Steve Bezerra alguns exercícios que servem para a correção de problemas de cavalos de vaquejada.
Este trabalho não é feito só dentro da pista. Você deve voltar um pouco, fazer com que seu cavalo aprenda o princípio mais simples que é "sair da pressão".

Conteúdo:

1 - Flexionamento
2 - Charreteamento
3 - Caminhar com o cavalo
4 - Trilhar o boi dentro e fora da pista
5 - Alinhar o boi em ambos os lados
6 - Escantear voltando para a porteira

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador
Salóa - PE - Brasil

DVD com Duração aproximada de 51 minutos

O Flexionamento é um exercício onde você pode estreitar os laços com o cavalo, além é claro de poder perceber algum possível "trauma’ que o animal possa ter. Por exemplo ele pode ter uma senssibilidade em uma das orelhas. Ao se passar uma das mãos nela, ele recua. Neste momento se inicia um trabalho de correção!

O Charreteamento é uma etapa que acontece dentro do redondel, ou em um local adequadamente preparado para este fim. Aqui o treinador primeiramente deve estar preparado fisicamente, pois o esforço aqui é grande! Aqui se trabalha o controle do animal.

Caminhar o cavalo, é um etapa muito prezeirosa, pois aqui o treinador pode sair com o animal para fora do ambiente tradicional dos treinos.  Saia em grupos ou sozinho mesmo, ande por estradas calmas, pelo pastos, enfim onde possa trazer ao animal momentos de relaxamento e prazer. Sempre tomando cuidado com veículos, pedestrres e logicamente com a qualidade do piso.

Treilhar o boi, é muito importante, pois aqui você pode tirar possiveis traumas do cavalo em relação ao boi. E também pode trazer novamente a ele o prazer de correr junto . 

Alinahs o boi, é uma etapa onde o treinador pode verificar qual o lado que o cavalo trabalha melhor.

Escantear, é uma atividade onde se condiciona o cavalo a este movimento, é um treinamento muito importante a fim de familiarizar o animal ao o que terá nas pistas de vaquejada.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Vaquejada somente com Arreios de Boca


Esse método que foi desenvolvido para correr vaquejada usando apenas arreio de boca nos cavalos é um método que facilita a vida do vaqueiro, pois o animal oferece menos resistência em comparação quando se esta fazendo uso do arreio tradicional.
Mas é preciso que o vaqueiro se prepare para assimilar a nova técnica, dominando o uso das esporas corretamente e também fazendo uso das técnicas de rédeas.
Com o passar do tempo se percebera que se tem muito mais facilidade para correr somente com arreio de boca, do que quando se utiliza o arreio tradicional.

1 - Utilizando as esporas
2 - Desbloqueio
3 - Sensibilizar
4 - Flexionar a nuca
5 - Tipos de espora
6 - Arreios de boca
7 - Corrigindo na cancela
8 - Correndo boi com arreios de boca

Consultor:
Edeilton Ramos de Paula
Técnico Agrícola e Treinador de Cavalos

Duração aproximada: 68 minutos



Mês e Ano de produção: Dezembro de 2015

Local de Gravação:
Parque Acauã
Garanhuns - PE

Tecnologia de Gravação: Full HD

Fomos até a cidade de Garanhuns, localizada no agrespe pernambucano. Cidade de clima ameno e povo hospitaleiro. E é nesta cidade onde está localizado o Parque Acauã, local provido de uma das melhores estruturas para a prática da Vaquejada no pais! Conta com uma pista muito boa, cocheiras onde os animais podem descansar e receberem os tratos. Parque conta também com belíssima estrutura para o publico que deseja assitir aos treinos e provas.
Neste local o treinador Edeilton realizou seu trabalho que culminou neste video curso. Os animais foram trazidos por ele. São animais que estão ainda no processo de correção, ou seja corriam no método tradicional, mas que apresentaram alguns problemas, e o treinador juntamente com sues proprietários decidiram que era hora de mudar as coisa! Foi então que iniciaram o processo de Correção usando somente arreios de boca.
Também Edeilton, nos mostrou os equipamentos que ele utiliza, como freios e bridões. São ferramentas, que ele fez algumas modificações, de acordo com o que ele foi percebendo ao longo dos treinos. Também apresentou as esporas para treinos e corridas. Sendo que ambas não causam traumas nos animais, já que não possuem pontas. Sendo esta um dos objetivos deste video, ou seja mostrar que é possível a pratica da vaquejada sem causar traumas aos animais, o que é uma das premissas das boas práticas na criação de cavalos e do bem estar animal.
Foram dias de muita dedicação e bons resultados, que podem ser vistos neste video curso.

SAIBA MAIS SOBRE VAQUEJADA

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Como fazer hidroponia

"Hidroponia Comercial - Oportunidades e Negócios", foi produzido para mostrar detalhadamente como desenvolver esta atividade, a hidroponia, como uma excelente alternativa de diversificação na propriedade rural, bem como uma nova oportunidade de negócios para as pessoas dos centros urbanos. Só para ter uma idéia, em uma hidroestufa de 2m x 20m (40m2), cultivando alface em perfis hidropônicos, é possível a colheita de 640 pés a cada 15 dias. Em termos de culturas, existe um grande mercado em potencial, a alface conquista novos espaços a cada dia, a hortelã, está no mesmo caminho, com restaurantes, industrias de alimentos e farmacêuticas, sendo compradores em potencial.
Veja neste vídeo-curso como iniciar e desenvolver o cultivo hidropônico.

o que você vai aprender?

1-Implantação do Sistema: o local, a fotografia, posição em relação ao sol
2-Construção da Estufa: formato, dimensões, materiais, nivelamento, cobertura, bancada, canais de cultivo ( telhas de fibrocimento, tubos de pvc cortados, perfis hidropônicos)
3-Distribuição e captação da solução nutritiva, sistema hidráulico
4-A qualidade da água: os testes de qualidade
5-A solução nutritiva: Formulação com sais comprados em separados, como fazer os cálculos
6-Projeto: Produção de 7.000 a 14.000 pés de alface por mês.

Saiba mais sobre cursos aqui

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

como Crair Frango Caipira

Criação do Frango Caipira no Brasil.

Cada vez mais o produtor rural deve buscar alternativas de produção para sua propriedade.
Não se pode mais pensar em ter a renda baseada em apenas um produto, pois as variações de preços são cada vez mais constantes e bruscas, em um dia estão altamente compensadores, mas a qualquer momento podem cair a um nível que nem compense comercializar.

Uma alternativa para a diversificação da produção,  é a criação de frangos e galinhas no sistema semi-confinado, ou à moda caipira.
Tanto para a venda de carne, quanto a de ovos.

No passado, quando havia um grande número de pessoas morando no campo, esta atividade era de subsistência, o objetivo era fornecer alimento à família.
Praticamente se criava sem nenhuma técnica, as informações eram passadas de pai para filho.

O tempo passou, e a tecnologia tomou conta dos sistemas de criação, as aves passaram a ser criadas confinadas em gaiolas quando o objetivo é a produção de ovos.
E em galpões, para a produção de carne.
Nesses modelos de criação, as aves pouco se exercitam, não tomam sol, somente comem ração e precisam estar sempre sendo medicadas.
Isto barateou muito o preço pago pelo consumidor pela carne de frango e pelos ovos, já que toda a produção é feita em  escala industrial.

Mas assim como os sistemas de criação se tornaram altamente tecnificados, também começou a surgir uma nova tendência de mercado, que é a do consumo de produtos naturais.
Onde o consumidor busca uma alimentação mais saborosa e saudável.
E é neste nicho de mercado, que se enquadra a criação de frangos e galinhas à moda caipira
Já que são criadas semi-confinadas, onde se alimentam de ração, verduras, capim e insetos que encontram pelo chão.
Também se exercitam bastante.
Tomam sol.
E por todos estes fatores, ocorre menor incidência de doenças, o que faz reduzir a carga de remédios que devem receber.

Porém esses consumidores em potencial, esbarram em uma dificuldade, que é achar quem comercialize esse tipo de produto.
Muitas vezes têm que viajar ao interior para comprarem um frango e ovos em algum sítio de conhecidos ou familiares.

Esse é um cliente muito bom para ser deixado de lado pelos produtores, normalmente ele não se importa em pagar mais por um produto desse tipo.
Só que para facilitar sua vida, não devemos fazer ele correr atrás do produto, e sim oferece-lo em pontos de venda perto de sua casa.
E isso só se consegue, com uma produção em escala comercial.

Neste vídeo, você verá como criar aves à moda caipira, tanto a nível de pequena escala, onde não existe a especialização, sendo a produção destinada principalmente ao consumo familiar e o excedente comercializado.
Para este modelo, daremos o nome de criação familiar.

Também verá produções especializadas, onde o criador tem aves somente para a produção de carne, e outras somente para postura de ovos.
Já para este modelo, daremos o nome de criação comercial.

O Rebanho de Gado de Corte

Como Melhorar o Rebanho.

1. Melhoramento genético animal é a busca de animais, a cada geração, geneticamente mais produtivos e adaptados ao meio ambiente em que vivem.

2. Na pecuária de corte, seu objetivo principal é obter uma maior lucratividade da exploração, através do uso de uma genética superior que forneça, a cada ano, maiores margens e competitividade. Para isso deve-se identificar em um rebanho animais geneticamente superiores maximizando seu uso na reprodução. Desta maneira se está aumentando a freqüência de genes melhoradores, e como conseqüência, se aumenta o valor genético médio dos animais do rebanho.

3. O conjunto dos fatores que determinam o peso  de um animal, seu tamanho e sua forma, recebe o nome de fenótipo, ou em outras palavras, fenótipo é tudo o que se vê no animal e é determinado pela sua carga genética que é herdada dos pais, somada aos efeitos do ambiente em que vive o animal. Portanto, o trabalho do melhoramento genético animal, resume-se em separar e quantificar o quanto desse fenótipo  é determinado pelo efeito genético e quanto desse fenótipo é determinado pelos efeitos do ambiente.

4. A necessidade anual de touros de corte no país é de, aproximadamente, 300.000 reprodutores. Para os próximos anos é possível predizer que o número de touros geneticamente superiores que serão ofertados em leilões e em vendas particulares, depois de passar pelas várias etapas de controle de produção e filtros seletivos, não passará de 15.000, ou seja apenas 5% da necessidade.

5. Frente a esta situação, montar um programa próprio ou participar de programas já existentes, com objetivo de produzir internamente touros para uso e venda, é um bom apelo comercial.

6. Touros com avaliação genética, historicamente, são comercializados na proporção de 3 a 5 bois gordos por touro, enquanto uma dose de sêmen destes mesmos animais é comercializada por aproximadamente US$8,00.

7. Além disso, produzir reprodutores selecionados no próprio ambiente ou ambiente semelhante ao que eles serão usados futuramente é o ideal, garantindo uma perfeita adaptação, além de ser mais econômico.

8. Estes 15.000 reprodutores com avaliação genética representam uma oferta ainda bem inferior à demanda que é de 300.000, embora se possa confirmar um crescimento dessa oferta nos últimos  anos. Prova disso são os programas de melhoramento existentes no país, que oferecem touros e, principalmente, sêmen de reprodutores com avaliação genética.
9. Na raça Nelore essa oferta vem tendo um bom crescimento a ponto de afirma-se que hoje só compram sêmen sem garantia de qualidade genética pecuaristas desavisados.

10. Sumários de Touros Pais, como por exemplo o Sumário Aliança Nelore, onde são apresentados resultados de avaliações genéticas de várias características de interesse econômico, estão à disposição dos pecuaristas.

SAIBA  MAIS SOBRE GADO DE CORTE AQUI!