quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Coleção Cavalos 10 Estrelas

TÍTULOS DO KIT 10 ESTRELAS

 VAQUEJADA – Consultor: Treinador Steve Bezerra
1- DVD - Doma Racional para cavalos de Vaquejada – Com 3 Discos
2- DVD - Treinamento Báscio de Rédeas para Cav. Vaquejada – Com 01 Disco
3- DVD - Sistema de Treinamento para cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
4- DVD - Correção de cavalos de Vaquejada – Com 01 Disco
5- DVD  - Arreios para Cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
DOMA RACIONAL – Consultor Paulo Nazário
6– DVD -  Guia Prático da Doma - Iniciação a Rédeas – 03 Discos
7 – DVD - Guia Prático de Doma - Iniciação de Potros – 03 Discos
FREIOS E BRIDÔES – Consultor João do Freio
8 – DVD -  Freios e Bridões para Cavalos – 01 Disco
TRÊS  TAMBORES – Consultor Marinaldo Pegos
9 – DVD - 3 Tambores - Treinando com Marinaldo Pegos – 02 Discos
CASQUEAMENTO E FERRAGEAMENTO – Consultor Dr Fabio Furquim
10 -  Como Fazer Casqueamento e Ferrageamento Básico – 02 Discos

Compre aqui esta coleção cavalos

MINHOCAS E MINHOCÁRIOS

MINHOCAS E MINHOCÁRIOS - BONS LUCROS

A criação racional de minhocas ou minhocultura é uma atividade que pode se tornar bastante rentável, dando bons lucros, desde que desenvolvida de acordo com a técnica indicada. É pelos motivos expostos que resolvemos lançar o presente trabalho para que, tendo várias opções, o criador possa escolher as instalações que mais se adaptem às condições da região em que será implantado o minhocário.

Aprenda mais sobre minhocas

A CODORNA AMERICANA

CODORNA AMERICANA - BOBWHITE

O objetivo deste trabalho é divulgar os conhecimentos referentes à criação de codorna americana, não só por ser uma ave de alta lucratividade mas também porque é muito rústica e resistente, inclusive a doenças. Além disso, já se adaptou muito bem às condições existentes no Brasil e aqui aumentou sua resistência, tornou-se mais precoce e produz mais, com 2, 3 ou mais ninhadas por ano ou produzindo até 300 ovos enquanto que, no seu país de origem, tem 1 ou 2 ninhadas por ano e bota até 250 ovos.

Aprenda mais sobre codornas

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ADUBAÇÃO VERDE NO CERRADO

CERRADO: ADUBAÇÃO VERDE

O Cerrado representa um dos principais biomas brasileiros, não só devido à sua extensão, que é a segunda maior área, com 207 milhões de hectares, como também por sua enorme riqueza em espécies vegetais e por conter a nascente da maioria das grandes bacias hidrográficas brasileiras. O uso de plantas condicionadoras ou como adubos verdes, ou como cobertura, resulta em efeitos positivos às propriedades físicas, químicas e biológicas do solo e, consequentemente, ao manejo sustentável dos agroecossistemas. Os aspectos abordados neste livro compreendem desde o histórico de utilização dos adubos verdes, incluindo sua introdução no Cerrado, até o estudo da viabilidade econômica de seu uso em agroecossistema desse bioma.

Saiba mais sobre agricultura orgânica aqui!


O cultivo da mandioca

500 PERGUNTAS 500 RESPOSTAS - MANDIOCA

Com uma área de 18,6 milhões de hectares plantados no mundo, a cultura da mandioca desempenha um papel de elevada importância social, uma vez que contribui para a alimentação de mais de 700 milhões de pessoas principalmente nos países em desenvolvimento. O Brasil ocupa o 2º lugar entre os principais países produtores de mandioca. Esta publicação, elaborada na forma de perguntas e respostas, tem como objetivo ajudar aos produtores e profissionais de áreas correlatas, organizar e disponibilizar informações atualizadas, o que representa uma importante contribuição ao processo de transferência de tecnologia, porque ajuda a sanar as principais dúvidas relativas à cultura da mandioca. no âmbito deste promissor agronegócio. Desta forma, pela amplitude e pela diversidade dos enfoques explorados, a Embrapa acredita colocar à disposição do público-alvo um livro-consulta de efetiva qualidade técnica e de grande importância informativa.

Capítulos:


1. Classificação Botânica
2. Clima e Solo
3. Variedades
4. Escolha da Área e Preparo do Solo
5. Manejo e Conservação do Solo
6. Calagem e Adubação
7. Seleção e Preparo do Material de Plantio
8. Poda e Conservação de Manivas
9. Época de Plantio
10. Espaçamento e Plantio
11. Consorciação
12. Plantas Daninhas
13. Pragas
14. Doenças
15. Colheita
16. Processamento e Utilização
17. Aspectos Socioeconômicos, Comercialização e Custos de Produção

Aprenda mais sobre agricultura


Fabricação de Linguiças

A garantia de manutenção do mercado de carnes consiste no fornecimento de produtos com padrões de qualidade estável, visando à segurança com relação ao produto adquirido e acesso econômico aos consumidores.

É importante lembrar àqueles que se propõem a fabricar alimentos que, em todas as etapas do trabalho, a higiene é o fator fundamental para o sucesso na atividade.

Os alimentos mal manipulados servem como veículo de transmissão de infecção e intoxicação para o consumidor, colocando em risco a sua saúde.

Autores

Maria das Graças de Assis Bianchini: Nutricionista, Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Aprenda a fazer embutidos e defumados

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Iniciação de Muares

Neste curso você acompanhará o passo-a-passo de como treinar muares com o ensinamentos de Fernando Rolim utilizando os conceitos: COMUNICAÇÃO, RELACIONAMENTO, RESPEITO E LIDERANÇA.

Conteúdo apresentado em DVD Duplo:
Dez passos para atingir o sucesso na iniciação:
1. Aproximação
2. Habituação
3. Flexões lateral e vertical
4. flexão lateral e fobia
5. Movimento avante
6. Recuo
7. Desengajar os Posteriores
8. Aproximação da cerca
9. Selar
10. Montar

Treinador: Fernando Rolim
Consultoria: Global Equus

A Vaquejada de Steve Bezerra

KIT TOP VAQUEJADA

APRENDA TUDO SOBRE A VAQUEJADA EM 4 DVDS COMPLETOS


DVD 1 - Doma para Cavalos de Vaquejada
DVD 2 - Treinamento Básico de Rédeas
DVD 3 - Sistemas de Treinamento
DVD 4 - Correção de Cavalos

Com Treinador Steve Bezerra

O que é Rédeas

Rédeas é a modalidade de Hipismo Western, na qual o cavalo recebe adestramento básico. Entre todas as modalidades é a mais técnica. Qualquer cavalo que pratique outra modalidade, precisa ter Rédeas para obter sucesso. Controlar um cavalo, não é apenas guiá-lo, mas dominar seus movimentos. O cavalo melhor controlado deverá ser voluntariamente guiado com pouca ou nenhuma resistência. Qualquer movimento dele próprio poderá ser considerado como falta de controle.


História

Como outras modalidades do hipismo western, a Rédeas surgiu nos EUA.

Durante o período da colonização americana o cavalo foi uma peça muito importante para o homem do campo. Foram estes colonizadores, os futuros cowboys, que sentiram a necessidade de ter um cavalo bem adestrado. Além de um meio de transporte seguro, tinham que lavrar o solo e lidar com os bois, quando precisavam laçar, apartar, girar rápido, parar bruscamente.

Anos se passaram e foi-se aperfeiçoando a criação e treinamento dos cavalos. Criaram-se assim várias modalidades de hipismo western. A Rédeas tornou-se uma dessas modalidades.

Associação americana

Em 1966, um grupo de criadores e proprietários de cavalos, fundaram a NRHA – National Reining Horse Association. Surgiu então a indústria da Rédeas que hoje emprega milhares de pessoas em todo o mundo, direta e indiretamente, além de ser uma das modalidades que mais consegue atrair público em seus eventos.

No Futurity da NRHA, realizado anualmente em Oklahoma – EUA, são distribuídos cerca de U$1 milhão em prêmios e mais de 500 animais disputam as provas.

A consagração da Rédeas como modalidade esportiva aconteceu em 96, quando foi apresentada para mais de 30 mil pessoas, nas Olimpíadas de Atlanta – EUA.

Atualmente a modalidade é praticada em 11 países, que enviaram seus representantes no mês de maio/2001, para o Mundial da Itália, onde o Brasil foi classificado em 5º lugar.

No Brasil

As primeiras provas de Rédeas no Brasil foram realizadas pela ABQM – Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Quarto de Milha.

A modalidade despertou a atenção de criadores, proprietários e treinadores e no dia 15 de abril de 1989 foi fundada a ANCR – Associação Nacional do Cavalo de Rédeas, com o objetivo de promover e fomentar o cavalo de Rédeas no Brasil.

São dezenove anos de história, com muitos eventos, clínicas com famosos treinadores americanos, cursos de formação e reciclagem de juízes, cursos de casqueamento e ferrageamento e clínicas para principiantes.

Atualmente a ANCR conta com mais de 150 sócios ativos, realiza 5 grandes eventos anuais e apóia os eventos das nove Associações Regionais.

Com o crescimento houve também a expansão da modalidade para outras raças. Além do Quarto de Milha, participam atualmente das provas de Rédeas animais das raças Crioulo, Appalloosa, Paint Horse e Árabe.

O objetivo principal da ANCR atualmente, é aumentar o número de adeptos e praticantes, através da divulgação da modalidade em todo país.Uma vez que a modalidade esta pleiteando uma vaga nas Olimpíadas de 2012 em Londres.

Saiba mais sobre a modalidade de rédeas aqui!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Gestão Ambiental na Suinocultura

O livro Gestão Ambiental na Suinocultura surgiu da necessidade de abordar a poluição ambiental causada por essa atividade, como uma questão multidisciplinar na qual o início das soluções passa pelo entendimento do problema, pela geração de conhecimentos que permitam alternativas exeqüiíveis de solução, e de que na implantação dessas sejam atendidos satisfatoriamente todos os segmentos direta e indiretamente envolvidos ou influenciados pela suinocultura. A proposta deste livro é de ir além da concepção predominante de que os dejetos de suínos representam riscos de poluição ambiental quando despejados em cursos d`água sem o adequado tratamento, e de que basta sua aplicação ao solo para tornar irrelevantes os riscos ambientais. Esta obra não pretende esgotar o assunto e, tampouco, fornecer receitas, mas abordar questões-chave na busca das soluções para o problema. Nesta publicação, foram incluídos alguns temas inovadores, dentre os quais destacam-se a segurança sanitária no manejo dos dejetos, a segurança na operação de máquinas no uso dos dejetos como fertilizante do solo, a remoção de nutrientes do efluente final de unidades de tratamento primário de dejetos, a legislação ambiental e sua influência na suinocultura e a gestão ambiental da propriedade suinícola.

Veja mais sobre a Criação de Suínos

500 Perguntas 500 Respostas Hortas

Este livro apresenta informações básicas sobre o cultivo das hortaliças, organizadas na forma de perguntas e respostas e agrupadas em capítulos temáticos. O objetivo é atender às demandas dos responsáveis por hortas escolares e comunitárias, dos produtores rurais, dos extensionistas, dos professores, dos estudantes e, principalmente, do público urbano que deseja produzir parte de seu próprio alimento de forma saudável e segura. Nesta obra, são explicadas, em detalhe, questões como: o que são as hortaliças, como planejar uma horta, os tipos de horta, o preparo dos canteiros, os insumos e materiais necessários, a escolha das hortaliças, a semeadura, o preparo das mudas, os tratos culturais necessários, a adubação, a irrigação, o manejo de pragas, de doenças e de plantas invasoras, a colheita e a pós-colheita, o processamento em pequena escala e as características nutricionais das hortaliças. Com este livro, a Embrapa espera popularizar ainda mais a produção de hortaliças no Brasil em hortas domésticas, comunitárias e escolares, recuperando uma tradição antiga e o prazer das pessoas de produzir seus próprios alimentos.

aprenda mais sobre Hortas aqui!

Como aproveitar bem o leite no sítio ou chácara

Como aprtoveitar bem o leite no sítio ou chácara é uma obra especialmente dirigida àqueles pequenos produtores rurais que encontram dificuldades no transporte diário do leite para comercialização em pequena escala.A fabricação caseira de queijo e manteiga é a solução aqui apresentada, através de conhecimentos elementares necessários para se obter um produto de melhor sabor e maior valor nutritivo. Mesmo com aparelhagem rudimentar, é possivel transformar uma ocupação agradável em fonte de renda apreciável e, a partir daí, surgir um produtor ou industrial em potencia.

Saiba mais sobre Leite

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

A Equitação Natural

Vamos dissecar um pouco estas palavras: "Natural" no Dicionário Universal quer dizer - relativo ou pertencente à natureza, espontâneo, verdadeiro.
"Cavaleiro" definido como "homem que anda a cavalo; o que sabe andar a cavalo". "Equitação"... Quer dizer conjunto de cavaleiro e cavalo a trabalharem como um só; a arte de andar a cavalo".
Agora juntemo-las. EQUITAÇÃO NATURAL. A arte de trabalhar, treinar e montar cavalos é um processo funciona com o comportamento do cavalo, os seus instintos e carácter, de uma forma serena e bondosa.
Existe um número considerável de equitadores famosos que seguem a arte da Equitação Natura: John Lyons, Pat Parilli, Buck Brannaman, Tom Dorrance, Monty Roberts e outros. Cada um deles tem o seu estilo e técnica mas todos a executam dentro dos mesmos parâmetros.

O que é a Equitação Natural?
A Equitação Natural pode ser aprendida por todos os amantes de cavalos. Não há idade específica para começar. Qualquer um pode aprender a trabalhar com cavalos com eficiência e serenidade, utilizando este método quer esteja no início da sua carreira com cavalos quer já tenha atingido os 50 anos de trabalho com eles. Para começar é necessário um conhecimento sólido do comportamento natural do cavalo. Como funciona a hierarquia de manada? Quem é o chefe? Quando um subordinado sai da linha perante um cavalo dominante como é que este reage? Como se comporta o seu cavalo com os outros? é dominante ou subserviente? O conhecimento destes dados ajudá-lo-á a estabelecer um programa para treinar o seu cavalo.
Os cavalos têm um programa definido de comunicação. Não os conseguimos ouvir comunicam com a linguagem corporal, voz e telepatia (a telepatia é para muitos um tema controverso, no entanto esta teoria tem sido provada inúmeras vezes). Também comunicam utilizando os seus sentidos extremamente desenvolvidos. A sua audição é muito sensível, o seu olfacto é muito superior ao nosso... (um garanhão consegue sentir o cheiro de uma égua em cio num raio de oito quilómetros). A sua visão é por um lado menor que a dos humanos mas por outro lado a colocação dos seus olhos permite-lhe ver muito mais do que nós. É uma visão monocular o que lhes permite focar duas imagens ao mesmo tempo. Conseguem ver na escuridão. A sua pele é tão sensível que o mero esvoaçar de uma mosca na garupa pode provocar uma reacção de todo o corpo para a enxotar. As suas narinas e glândulas gustativas estão tão interligadas que um garanhão, ao encurvar o lábio superior na presença de uma égua, consegue sentir o sabor do odor da mesma. Todos estes sentidos trabalham juntos para formar um sistema de comunicações único. É perfeitamente lógico que, se nós humanos, quisermos comunicar eficientemente com os cavalos, aprendamos o mais possível sobre a forma como eles “falam” uns com os outros. Nessa altura podemos começar a comunicar com eles eficientemente e sem grande esforço.

O que é a Equitação Natural?
Os mais conceituados equitadores naturais utilizam linguagem corporal para conseguirem que o cavalo compreenda o que querem. Aprenderam quando e como utilizar os olhos, a colocação do corpo ou parte dele, o tom de voz ou o silêncio e os utensílios a utilizar para reforçar as comunicações. Não será óbvio que se queremos complementar harmoniosamente os movimentos do cavalo aprendamos a falar com ele? Mais importante ainda, a ouvi-los? Podemos forçar um animal a fazer o que queremos. Mas, está ele a fazê-lo por medo ou porque nos quer agradar?
Os cavalos temem naturalmente o homem. Somos predadores e eles presas. Temos que ensiná-los a não nos temer. Isto obtém-se através da comunicação efectiva com o método natural. Para poder tirar o melhor partido de um cavalo ele precisa de confiar em nós sem qualquer reserva. Só então é que ele pode estar disponível para nos oferecer a maior lisonja como cavaleiros: entregar-se sem medo.

aprenda mais sobre Equitação aqui!
.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

SOJA ORGÂNICA

SOJA ORGÂNICA: ALTERNATIVA PARA O MANEJO DOS INSETOS-PRAGAS

Soja orgânica: alternativas para o manejo dos insetos-pragas. Colaboração para o desenvolvimento sustentável da produção de soja orgânica no Brasil, o livro oferece informações a agentes de assistência técnica e produtores para que efetuem o manejo de insetos pragas, como lagarta-da-soja, percevejos e corós. Tudo de acordo com os princípios de produção orgânica. Cada alternativa de manejo traz um estudo sobre ataque da praga, sugestão de controle biológico e resultados obtidos com a técnica aplicada. Embrapa Soja.

Saiba mais sobre o Cultivo de Soja

CULTIVO ORGÂNICO DO CAFÉ

CULTIVO ORGÂNICO DO CAFÉ RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

A obra reúne recomendações sobre manejo e práticas culturais do café, de acordo com as normas técnicas da Agricultura Orgânica, uma atividade com base em princípios agroecológicos e de conservação dos recursos naturais. O livro recomenda as cultivares de café mais adequadas para se obter uma maior produtividade, sem, no entanto, utilizar fertilizantes químicos industrializados na lavoura. Por esse motivo, o livro fornece dicas necessárias para o controle alternativo de pragas, plantas invasoras e doenças que atacam os cafezais. Além das instruções para se converter uma lavoura convencional em orgânica, a publicação traz orientações para aqueles que têm interesse em comercializar o café com selo de produto orgânico.

aprenda mais sobre agricultura aqui!

CRIAÇÃO DE ABELHAS

A cada dia a criação de abelhas ganha novos adeptos em todo o mundo.Pois das abelhas aproveitamos tudo.Delas tiramos o mel.A cera.O pólen.A própolis.A geléia real.E a apitoxina, que é o veneno delas.
Existem empresas que os compram e os manipulam, produzindo os mais variados produtos.
O apicultor também poderá lucrar com a venda de abelhas rainhas, enxames e ou então com o aluguel de colméias para a polinização de frutíferas.
Mas está na extração de mel a atividade mais simples para o apicultor iniciante.
É simples, porem lucrativa, já que uma colméia produz em média 40 kg de mel por ano.
E o 1 quilo de mel é vendido em média por 1 dolar e 60 cents, variando para baixo no verão e para cima no inverno.
Assim com uma colméia, a renda com a venda do mel será de 64 dólares ao ano.


Países como a China, Estados Unidos, Argentina, México, Canadá, Austrália, e o Brasil, estão produzindo muito mel e de alta qualidade.
Produção esta, que representa uma movimentação da economia, tanto ao nível de comércio interno quanto externo.
E indiretamente, faz os negócios da fruticultura aumentarem, pois devido à polinização que as abelhas proporcionam, a produtividade aumenta, gerando lucros significativos.

Aprenda mais sobre Abelhas

MELOIDOGINOSES DA SOJA

RELAÇÕES PARASITO-HOSPEDEIRO NAS MELOIDOGINOSES DA SOJA

Relações Parasito-Hospedeiro nas Meloidoginoes da Soja - Os Nematóides de galhas, Meloidogyne spp. Constituem um dos maiores grupos de parasitas de plantas. Apresentam uma distribuição mundial generalizada, embora haja um número pequeno de espécies de ocorrência restrita. Espécies desse grupo são sérios parasitas causadores de grandes perdas na produtividade de diversas culturas. Este livro mostra os resultados procedentes de uma pesquisa intensiva sobre espécies desse gênero, os pesquisadores decidiram apresentar as Meloidoginoses relacionadas a uma das plantas mais importantes do mundo, a soja, pois ainda ocorre carência de literatura especializada, principalmente no que se refere aos problemas brasileiros. Enfim, esta obra mostra uma nova realidade do nível técnico dos pesquisadores e professores de Nematologia no Brasil.

PRAGAS E DOENÇAS DE PLANTAS

CONTROLE ALTERNATIVO DE PRAGAS E DOENÇAS DE PLANTAS

No campo, abordando os temas mais comuns para o deu dia-a-dia, que são: a criação de animais, técnicas de plantio, práticas de controle de pragas e doenças, adubação alternativa e fabricação de conservas de frutas, as instruções mostram como otimizar a atividade rural. As pequenas cartilhas são elaboradas em linguagem simples e objetiva, cujas informações permitirão aos produtores diminuir os custos, aumentar a produção e melhorar a qualidade dos alimentos produzidos, criar outras fontes de renda e agregar valor aos seus produtos. Esta cartilha ensina porque e quando usar métodos alternativos e naturais, aumentar a resistência das plantas, evitar a contaminação, manter limpo o local de cultivo, evitar o excesso de umidade.

Saiba mais sobre controle de pragas e doenças de plantas aqui!

IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE SOJA

MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS DE SOJA

As trinta e quatro doenças diferentes que afetam a cultura da soja podem gerar dúvidas em sua identificação a campo. Para ajudar técnicos, produtores e estudantes a diagnosticar as doenças presentes em suas lavouras, a Embrapa Soja lança o Manual de Identificação de Doença. Com fotos e textos explicativos, a publicação apresenta formato de bolso é plastificada e possui espiral para facilitar o manuseio a campo. As 72 páginas apresentam a descrição de 24 doenças fúngicas, 2 bacterianas, 5 viróticas e 3 causadas por nematóides, com destaque pra seus sintomas, as condições propícias para o desenvolvimento e as medidas de controle existentes.

Saiba mais sobre agricultura aqui!

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

COMO CRIAR MINHOCAS

Em apenas 100 metros lineares de canteiro você obtém 12 toneladas de húmus na cada 60 dias, que comercializados a granel, atingem o preço médio de US$ 100 por tonelada.Você poderá obter lucro com húmus, bem como na venda de matrizes de minhocas a novos criadores. Aqui você vê, com todos os detalhes de como fazer a instalação, o manejo, o processamento e a comercialização do Húmus e da minhoca Vermelha da Califórnia.

Conteúdo:
A Minhoca e o Solo
A Minhoca e a Reprodução
A Criação de Minhocas
A Produção de Húmus
Comercialização
Custos (Instalação e Produção)

Consultoria: Christa Knapper, Bióloga, pesquisadora da Universidade do Rio dos Sinos-RS.


aprenda mais sobre a criação de minhocas!

Como Criar Galinhas Semi-Confinadas

Para iniciar sua criação de galinha caipira , existem basicamente duas formas. Você poderá começar com uma galinha e seus pintinhos (cerca de dez a doze), observando que após o primeiro mês a fêmea começa a se distinguir do macho por desenvolver a cauda, o que só ocorrerá com ele a partir dos seis meses. Ou então, comece com um galo e de dez a quinze galinhas. Para este número de galinhas, dois galos juntos chegam a ser contraproducentes para a criação, além do risco de brigarem entre si.Quando a galinha caipira é criada em cativeiro sua carne é mais macia do que quando criada solta. Esta opção, no entanto, é mais custosa, pois a ave não pode conseguir seu próprio alimento, dependendo exclusivamente da ração e requerendo maiores cuidados, principalmente no que diz respeito às doenças. O galinheiro deve estar cercado por telas presas a estacas. Recubra-o com telhas de barro ou palha e instale os ninhos, puleiros, comedores e bebedouros (podem ser potes ou canaletas).No sistema de semiliberdade as aves ficam presas no galinheiro durante a noite e parte do dia, sendo soltas por volta das 15 horas, depois de receber as refeições da manhã e do meio dia.Uma vez soltas nocercado ou no terreiro, vão ciscar a terra à procura de insetos, sementes, pequenos frutos e até grãos de areia, que ajudam a triturar os alimentos em sua moela. Para tanto, é necessário soltá-las em um terreno distante dos jardins e hortas, pois instintivamente as galinhas ciscam toda terra solta que encontram, danificando os canteiros e destruindo as plantas. Pelo mesmo motivo você pode usá-las para limpar canteiros para plantio, soltando-as depois da colheita.
ALIMENTAÇÃO
Logicamente, quanto melhor alimentada, mais produtiva será a galinha. A caipira come praticamente tudo: resto de comida, milho, verdura etc. Contudo, a alimentação precisa ser balanceada, suprindo as necessidades específicas da ave. Durante a postura, por exemplo, ela precisa de aproximadamente 3% de cálcio, enquanto que fora dessa época sua necessidade é de apenas 0,8%.Se você tiver uma chácara ou sítio, pode reduzir os custos da ali¬mentação acrescentando cerca de 50 a 80% de milho à ração. O ideal é misturar uma certa quantidade de ração com milho triturado (farelo ou quirela) e alimento verde picado bem miúdo e levemente umedecido. Forneça esta alimentação duas vezes por dia, pela manhã e à tarde, calculando cerca de loo g para cada ave. O farelo de milho não é suficiente para suprir as necessidades protéicas dos pintinhos (em torno de 24%), por isso, complemente-o com ração.
REPRODUÇÃO
A os seis meses, tanto a fêmea como o macho atingem a sua vida adulta. Para o acasalamento não há muito o que fazer, exceto manter a proporção macho/fêmea.O ninho deve ser confeccionado com uma caixa de papelão medindo, aproximadamente 30cm de altura, 30cm de largura e 30cm de comprimento, de forma que se ajuste bem à galinha e retenha mais calor. A forração pode ser feita com capim seco ou com serragem. Para evitar que outras galinhas choquem no mesmo ninho cubra-o com ripas ou papelão, soltando a galinha de dois em dois dias para que possa comer e beber. Caso abandone o ninho, coloque outra para substituí-la.Um fator muito importante na reprodução das galinhas caipiras é a luz solar. No período de luz crescente (estações do ano em que os dias têm maior duração da luz solar), a ave tem sua glândula pituitária estimulada, produzindo uma maior quantidade de hormônios, como c SFH, por exemplo. Este hormônio estimula o desenvolvimento do ovário e de outras características sexuais secundárias, como a crista, a conformação do corpo e o desenvolvimento do oviduto (canal de saida dos ovos).Uma galinha pode pôr até vinte ovos seguidos, um por dia, para depois chocá-los durante um período de vinte e um dias. Caso seja separada dos ovos após colocar o último, a caipira estará botando normalmente após dois ou três dias.
Cuidados
Em grandes criações, é aconselhável que os ovos sejam colocados em encubadeiras, separando os pintinhos das galinhas e evitando que elas possam lhes transmitir alguma moléstia. É igualmente recomendável que se faça uma separação etária, ou seja, separar as mais velhas, que são mais propensas a certos tipos de doenças, das mais novas. As que estão produzindo e as que não estão também devem ser separadas, pois estas últimas atrapalham a produção e, além disso, possuem necessidades alimentícias específicas.Ao limpar o galinheiro, retire todo o esterco e substitua-o por serragem. Para evitar o desenvolvimento de microorganismos causadores de doenças, prepare um desinfetante com cal e uma pequena quantidade de água e empregue-o em cima e embaixo da serragem.Quanto às doenças, as mais graves são evitadas mediante vacinação anual. Uma enfermidade freqüente é a "pigarra", que atinge as vias respiratórias. Ela forma uma capa branca na língua da ave, provocando a tosse. Pode ser removida com a mão, colocando-se em seguida um pouco de sal de cozinha na língua da ave, ou ser tratada com medicamentos.

aprenda sobre criação de galinhas caipiras aqui

BIODIESEL - O NEGÓCIO DO SÉCULO

Biodiesel é um combustível natural que pode ser produzido a partir de óleos vegetais ou de gorduras de origem animal.
É usado em motores diesel e pode ser misturado em qualquer proporção ao diesel do petróleo.
Óleo vegetal puro não é considerado biodiesel ! Normalmente possui na sua composição uma substância chamada glicerina,e para obter o biodiesel é preciso remover essa glicerina por meio de algum processo químico ou físico. Neste vídeo-curso "Biodiesel - O Negócio do Século" você verá que podemos obtê-lo a partir da soja, mamona, girassol, pinhão-manso e outras plantas.

Conteúdo
- O que é biodiesel?
- O motor funciona bem?
- Como é feito?
- O que é o Programa Brasileiro de Biodiesel?
- Do que é feito?
- Como armazenar?
- Quem pode comprar?
- Quanto custa?
- E o produtor rural?
- O óleo vegetal pode ser usado como combustível?
- E os resíduos?
- Vamos trocar alimento por energia?

Aprenda mais sobre Biodiesel aqui

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Cuidado no uso das esporas!

HIPISMO

Substituto de Pessoa é eliminado por uso de esporas, mas Brasil passa em 1º

Disputando a Rio-2016 com a pressão de ser o substituto de Rodrigo Pessoa, o cavaleiro Stephan Barcha foi desclassificado da disputa do salto individual e por equipes nesta terça-feira (16) por abusar do uso da espora no cavalo Landpeter do Feroleto. Ele se despede dos Jogos, mas ainda assim o Brasil avançou à final sem nenhum erro e deve brigar por medalha nesta quarta.

Barcha usou muito as esporas durante sua apresentação no Centro Olímpico de Hipismo, e um exame obrigatório feito pela comissão de veterinária após a prova atestou ferimentos no cavalo. O exame é rigoroso e desclassifica qualquer conjunto em que o animal se machuque, ainda que a lesão seja mínima – a comissão não divulga se o ferimento foi leve ou grave.

A eliminação fez com que a nota de Stephan Barcha fosse descartada para a prova por equipes. Por regulamento, a pior nota entre os quatro representantes do país é descartada e, como Barcha já tinha obtido a menor pontuação, sua desclassificação não representou prejuízo para a equipe a curto prazo. Mas ele fará falta na final por equipes, na qual o Brasil terá apenas três conjuntos e atuará sem poder descartar nenhuma nota. Eduardo Menezes, Doda de Miranda e Pedro Veniss precisarão se apresentar com erros mínimos para brigar por pódio.

Mesmo antes da desclassificação o cavaleiro já falava com pouca empolgação sobre sua prova. “Tivemos um toque na segunda vara, uma coisa que pode acontecer. Depois outro na faixa do rio, que está acontecendo muito. São coisas que acontecem”, falou o cavaleiro em tom de lamento.

Barcha é substituto de Rodrigo Pessoa, que foi colocado na reserva pelo técnico norte-americano George Morris. Frente à perda da titularidade, campeão olímpico em Atenas-2004 abriu mão de representar a seleção brasileira nos Jogos do Rio de Janeiro.

Veterinário explica desclassificação
"O corte foi mínimo, mas eles entendem que qualquer tipo de sangramento nesta região impede o cavalo de continuar", explica Rogério Saito, veterinário da equipe brasileira que disputa o hipismo na Rio-2016. "Ele (Barcha) não fez nada contra o cavalo, ele montou a prova e algum momento ele teve que fazer um esforço maior", argumenta.

fonte: uol

saiba mais sobre cavalos aqui:

AGROINDÚSTRIA FAMILIAR - AÇAÍ CONGELADO

Nesta edição da Coleção Agroindústria Familiar, o tema é o açaí, produto extraído da parte comestível do fruto do açaizeiro, freqüentemente encontrado em forma de polpa em embalagens congeladas, para preparo com água em quantidades variáveis de acordo com a destinação. Por representar uma opção de negócio que requer pouco capital, o açaí é uma boa indicação de matéria-prima agroindustrial, cuja aceitação vem crescendo tanto na região Amazônica quanto nos mercados nacional e internacional. A publicação inclui todas as etapas do processo de produção do açaí, desde a recepção e pesagem, sanitização e amolecimento até o armazenamento.

aprenda sobre o uso do açai!

PROCESSAMENTO DA MANDIOCA

Apresentada o processo de produção de quatro produtos originados da mandioca - farinha, fécula, polvilho e mandioca frita. Aborda o processamento da mandioca, desde as características da matéria-prima até a qualidade do produto final, a análise de mercado e a análise financeira para a montagem de uma agroindústria de processamento mandioca de pequeno porte.

aprenda mais sobre o cultivo da mandioca!

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Como Produzir Morango

Neste videocurso você verá como muitos agricultores estão aumentando seus lucros através do cultivo de morangos. A lavoura pode ser instalada num pequeno pedaço de terra e pode ter alto rendimento.
 O vídeo mostra como escolher o melhor local na propriedade, o tipo de solo correto; fornece informações desde o tamanho dos canteiros até o plantio das mudas. Gente que entende do assunto fala sobre os tipos de cultivo, o preparo das mudas, a colocação do plástico, a colheita e a comercialização.

Conteúdo:
 Rentabilidade
 Solo e seu preparo
 Máquinas
 Preparo das mudas
 Adubação
 Colocação do plástico
 Tipos de cultivo
 Irrigação
 Colheita

aprenda mais sobre a cultura do morango aqui!

COMO PRODUZIR MUDAS DE COCO

Com a popularização do coco, os quatro cantos do país aprenderam a consumí-lo tanto de maneira natural como industrializado. Hoje o coco é um bom negócio também para exportação. Vale a pena investir em um negócio destes.

Conteúdo: Variedades a escolha das sementes semente de coqueiro gigante sementes de coqueiro anão preparo das sementes preparo das mudas considerações econômicas.

saiba mais sobre o cultivo de coco anão

PIF CAJU - MONITORAMENTO DE PRAGAS E DOENÇAS

A Produção Integrada de Caju busca uma cajucultura trabalhando em moldes nacionais e sustentáveis, para produzir alimentos de alta qualidade, com menor risco para o produtor e o consumidor, utilizando tecnologias não agressivas ao meio ambiente e à saúde humana. O manejo integrado de pragas e doenças é a estratégia principal nesse sistema, e a base desse manejo é o monitoramento, realizado por meio de técnicas de amostragem adaptadas a cada praga ou doença, que sejam ao mesmo tempo precisas, rápidas e baratas. Neste DVD o produtor saberá como identificar corretamente as principais pragas e doenças, a época de ocorrência, a fase de desenvolvimento da planta e como deve ser feito o monitoramento.

Aprenda mais sobre fruticultura aqui!

COMO MONTAR UM PESQUE PAGUE NA SUA PROPRIEDADE

Em "Como montar um Pesque-Pague na Propriedade", você verá várias sugestões para tornar sua propriedade atrativa para o turismo. O pesque-pague é um ponto de encontro de pessoas que fogem do corre-corre das cidades e buscam os peixes mais frescos do mercado. Também é uma opção de lazer, descanso e diversão para toda a família. Com os recursos naturais de sua propriedade e nosso vídeo, você pode montar o melhor negócio de pesca, lazer e trazer bons lucros para o seu bolso.

Conteúdo:
-A escolha do local
-Dimensionamento dos viveiros
-Infra-estrutura básica
-A área total para o Pesque-pague
-A escolha dos peixes
-O manejo e a alimentação
-Atendimento aos clientes e controle do negócio
-Como atrair clientes e lucrar mais.

aprenda a montar um pesque pague

Inseminação Artificial em Ovinos e Caprinos

Neste vídeo, "Inseminação Artificial - Ovinos e Caprinos", você verá passo a passo as técnicas mais modernas e práticas de se inseminar ovinos e caprinos. Desde a coleta do sêmen, até o processo final de inseminação. Isto é indispensável para quem quiser obter um rebanho padronizado e de altíssima qualidade. Aprenda como fazer inseminação artificial em caprinos e ovinos de forma clara e objetiva.

Conteúdo:
-A origem
-A fêmea
-O reprodutor
-Sincronização do estro e estação de monta
-O Sêmen
-Diluição do sêmen
-A inseminação artificial
-O congelamento do sêmen.

Consultoria: Med. Veterinário Dr. Cesar M. Nunez e Dr. Rodrigo de O. Baroni.

aprenda mais sobre ovinos

SISTEMA INTENSIVO DE PRODUÇÃO DE CORDEIROS

O sistema intensivo de Produção de Cordeiros pode ser aplicado a qualquer propriedade, independente do tamanho ou raça adotada. Veja também o ganho de peso extraordinário possibilitado pela utilização deste sistema o que garante altos lucros em curto espaço de tempo

Conteúdo: 1. Princípios básicos do sistema 2. Aplicação do sistema 3. Os reprodutores 4. As matrizes 5. As borregas 6. Os cordeiros 7. A alimentação 8. Pastagens.

Consultor: João Ricardo Alves Pereira - Zootecnista - Professor da UEPG Izaltino Cordeiro dos Santos - Ger. de Pecuária da Fazenda Escola UEPG.

Aprenda mais sobre Cordeiros

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sistema de Treinamento Vaquejada

Aprenda como fazer um treinamento específico para vaquejada, após você ter passado pelos exercicios de rédeas, conseguindo assim o controle do seu cavalo é hora de partir para os treinos de pista. Isto é importante porque você irá preparar seu cavalo na cancela, na corrida e até a faixa de derrubada do boi. Este treinamento faz parte da rotina de Steve Bezerra em seu centro de treinamento com os cavalos de vaquejada. Com ele você vê, você faz!

CONTEÚDO;  


1 - Introdução do potro no gado (trilhar)

2 - Exercícios de cancela

3 - Alinhar o cavalo no boi de ambos os lados

4 - Exercícios de escantear

5 - Definir lado

6 - Ensinar o potro a abrir trocando de mãos com velocidade
para derrubar o boi.

Consultoria:

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador de Cavalos
Saloá - PE

aprenda mais sobre Vaquejada aqui!

Doma Racional para Cavalos de Vaquejada

Aprenda a fazer a Doma Racional para Cavalos de Vaquejada, no sistema de treinamento que  Steve Bezerra utiliza em seu centro de treinamento. As 4 palavras que regem este sistema são: Ensinar, Cobrar, Corrigir e Confirmar.

Veja como são treinados os futuros campeões das pistas de vaquejada!

CONTEÚDO:
Capítulo 1 - Flexionamento:com o potro na baia usando a mão e osidepull, colocando na vida do potro as 4 palavras que regem este sistema de treinamento:ensinar, cobrar, corrigir e confirmar.

Capítulo 2 - Controle no redondel:passo, trote e galope. Controle de velocidade e paradas usando o comando de voz.

Capítulo 3 - Banho de Corda e Banho de Forro

Capítulo 4 - Charreteamento:flexionamento de nuca, controle de corpo, mudança de direção 180º(Roll Back), círculos, esbarro,spine recuo.

Capítulo 5 - Banho de Sela


Capítulo 6 - Montar e desmontar (banho de gente):andar ao passo no redondel, flexionar nuca, controle de corpo, círculos pequenos, círculos grandes, mudança de direção, oito, início do esbarro e recuo.
Duração Aproximada: 3 horas
Dividido em 3 discos
Consultor:
Steve Bezerra
Treinador e Zootecnista
Saloá - Pernambuco

aprenda mais sobre doma de cavalos aqui!

Treinamento Básico de Rédeas para Vaquejada

O treinamento de rédeas é recomendado a
todo cavalo antes de ser levado para a vaquejada.
Os exercícios mostrados ajudam muito a Steve Bezerra no
seu dia-a-dia no seu centro de treinamento.

CONTEÚDO:

1 - Galopar em círculo na mão certa de 3 formas diferentes
2 - Ladear
3 - Roll back de 2 formas diferentes
4 - Esbarro em 3 posições
5 - Troca de mão de 2 formas
6 - Spin de 3 formas diferentes

Consultoria:

Steve Bezerra
zootecnista e Treinador
Fazenda Brejo
Saloá - PE

saiba mais sobre rédeas aqui!

terça-feira, 9 de agosto de 2016

CAVALEIRO & CAVALO NA EQUITAÇÃO

Algumas práticas são comuns a todos os cavalos, independente da finalidade.
Existem atividades que devem fazer parte do dia-a-dia e outras apenas em algumas ocasiões.
Este DVD  ensina a maneira correta de executá-las, passo a passo com muitas dicas.
Conteúdo:
Como pegar as patas
Como limpar o casco
Tratamento do Casco
Escovação
Ligas de trabalho e descanso
Proteção para a viagem

Saiba mais sobre o manejo de cavalos

MANUAL PRÁTICO DE DOMA

É um roteiro muito bem exposto de um método de doma que tem produzido muito bons resultados. Nem a brutalidade da doma antiga, nem o artificialismo de algumas "domas racionais". Trata de conquistar a confiança e a amizade do potro, mas exigindo respeito e obediência. Em linguagem clara e acessível aborda, além da doma propriamente dita, aspectos importantes da lida com o cavalo e até algumas recomendações sobre adestramento. Apresenta também uma síntese dos principais efeitos de rédea usados na equitação clássica. A compreensão dos diferentes pontos abordados é facilitada por abundante e primorosa ilustração gráfica.

Autor: Floriano Aguilar Chagas

Aprenda a fazer a Doma Racional aqui!

Cavalo de Sela Brasileiro

O curso revela os segredos do uso das embocaduras no cavalo de sela brasileiro, destacando o uso adequado das mesmas e, quanto estas podem ajudar e qual seu efeito nos exercícios.
Os principais temas apresentados são:
- embocaduras diferentes no mesmo animal: embocaduras de trabalho, competição e correção;
- atuação das embocaduras: conhecimento da anatomia;
- classificação de embocaduras: bridões, intermediárias e freios.
Instrutor: Fernando Mello Vianna
CTE Mello Vianna

Aprenda mais sobre cavalgada

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Iniciação a Rédeas

Guia Prático da Doma - Iniciação a Rédeas

O curso inicia mostrando de forma rápida os exercícios de doma que o treinador Paulo Nazário faz uso. Eles são a base para o treinamento que se segue.
Após isso, o curso passa a ser ministrado em dias: Do primeiro até o décimo dia, com exercícios detalhados que são realizados no redondel. Para finalizar, Paulo Nazário refaz os mesmos exercícios numa pista, utilizando uma área ampla.
Tudo muito prático, onde você vê, você faz e os resultados aparecem!
Conteúdo:

DVD 1

1° dia – Exercícios de Doma
2° dia – Exercícios de iniciação de potros.
3° dia – Exercícios de iniciação de potros. (Exceto os que o cavalo já assimilou)
4° dia – Exercícios de iniciação de potros. (Continuação dos exercícios de maior dificuldade)
5° dia – O cavalo descansa. É dia de horsemanship.
6° dia – Repetição dos exercícios de iniciação.
Duração Aproximada: 1 hora e 12 minutos


DVD 2

7° dia – Levanta-se o bridão. Repetem-se exercícios de iniciação.
8° dia – Transição do side pull para o bridão + exercícios de iniciação.
9° dia – O cavalo descansa. É dia de horsemanship!
10° dia – Correções
Duração aproximada: 52 minutos

DVD 3

Execícios na pista ampla.
duração aproximada: 50 minutos


Consultor
Treinador
Paulo Nazário

Aprenda sobre Rédeas aqui!

Laço em Dupla - Peseiro

Laço em Dupla (Team Hoping) É uma modalidade que apresenta um boi e dois cavaleiros montados. O primeiro laçador é chamado de "cabeceiro", será ele que deverá lançar a corda na frente do boi, geralmente em torno dos chifres, mas também é válido a corda de ir ao redor do pescoço. O segundo é o "peseiro", que joga a corda no boi pelas suas patas traseiras. O Laço em Dupla é o único evento de rodeio, onde homens e mulheres competem juntos na mesma competição profissional.

Segundos de emoção. É apenas um breve momento, mas sempre intenso e único. A cada corrida dois cavaleiros disparam em busca da laçada perfeita. Veja neste videocurso as técnicas que o grande campeão Rafael Paoliello usa no seu dia-a-dia nas pistas.

Capitulo 1 – Qual corda utilizar
Capitulo 2 – Características da laçada
Capitulo 3 – Treino no cavalete
Capítulo 4 – Treino com o boi mecânico
Capítulo 5 – A enrolada da corda
Capítulo 6 – Laçando
Capítulo 7 – Show de corridas

Consultoria:
Rafael Paoliello
Treinador


Saiba mais sobre Team Hoping

Laço em Dupla - Cabeça

O Laço em Dupla foi desenvolvido pelos  cowboys  em fazendas de trabalho quando era necessário capturar e conter um animal adulto que era muito grande para ser  contido por um único homem.  Sistemas de Handicapping foram desenvolvidos para nivelar a competição. Hoje existem dezenas de milhares de laçadores amadores que competem por milhões de dólares em prêmios em dinheiro.

Veja neste curso as técnicas que o experiente Ricardo Bassetto (Cuca) adota para garantir seus grandes resultados nas pistas.
As gravações foram realizadas nas dependências do Centro de Treinamento RP, Rubiácea - SP, e contou com a parceria de Rafael Paoliello e amigos.

Conteúdo:

# A corda;
# Treino no cavalete;
# Posicionamento em sela;
# Manuseio da corda;
# Boi mecânico;
# Corridas comentadas

Consultoria:

Ricardo Bassetto
Competidor

Aprenda mais sobre Laço em Dupla

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Densidade da Madeira de 932 Espécies Nativas do Brasil

Com o objetivo de colaborar e facilitar a elaboração de planos de manejo e enriquecimento florestais papeleiros, energéticos e para produção de madeiras de múltipla utilização é que esta obra foi elaborada.
O livro inicia com uma aprofundada e esclarecedora descrição das partes internas e externas de uma árvore, como prólogo aos conceitos da densidade básica da madeira de 932 espécies arbóreas.
A listagem dessas espécies arbóreas, cobre certamente uma enorme lacuna ainda existente e muito sentida pelos pesquisadores e administradores florestais no processo de orientação do conhecimento da Engenharia Florestal.
O registro da densidade da madeira é de grande valia para estudiosos e leigos pois auxiliará no correto entendimento dos diversos elementos que compõem a nossa biodiversidade.

Aprenda mais sobre madeiras aqui!

Plantio de eucalipto na pequena Propriedade Rural

Os eucaliptos são árvores maravilhosas. Imbatíveis em seu crescimento rápido, são fonte de matéria-prima para uma série de produtos de primeira necessidade, presentes em todas as casas brasileiras. Plantá-lo é uma alternativa excelente de renda para produtores rurais, especialmente onde há demanda para seus produtos, e ninguém sabe plantar melhor o eucalipto do que os brasileiros. Algumas empresas nacionais conseguem produtividade de 40 m³/há. Ano de madeira. Este documento é uma das contribuições da Embrapa Florestas para que pequenos plantadores de eucalipto tenham a oportunidade de plantá-lo com o mesmo sucesso e produtividade obtidos por grandes empresas.

Aprenda mais sobre o plantio de eucalipto!

MANUAL DE IDENTIFICAÇÃO BOTÂNICA E ANATÔMICA - ANGELIM

No Estado do Pará o setor madeireiro é um dos principais setores da economia e ocupa o terceiro lugar em valores exportados pelo Estado. O bom manejo da floresta visa garantir sua conservação e produtividade, trazendo retornos econômicos e sociais para o país. A boa identificação das árvores presentes na floresta é uma atividade essencial do bom manejo. Esta publicação expressa a nova abordagem de integração entre pesquisas consideradas como básica e aplicada, envolvendo o relevante papel da Botânica, que vem ganhando visibilidade particularmente através do Projeto Dendrogene (Embrapa / DFID). Servirá de fonte de consulta durante as diversas etapas da cadeia de produção desta madeira. Rica em ilustrações, a obra, permite ao leitor, mesmo sem formação botânica, a compreensão das diferenças entre as espécies usualmente denominadas de Angelim, mantendo o alto nível técnico que o fundamenta.

Aprenda sobre manejo de florestas aqui!

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

a ráfia

RÁFIA- (Do malgaxe, pelo lat. cient. rhaphia.) Gênero (Raphia) de palmeiras da família das palmáceas, cujas folhas fornecem uma fibra muito forte, utilizada na fabricação de tecidos e em industrialização. Ocorre na África e na América. -

Veja informações sobre agricultura aqui!

A Rastreabilidade

Rastreabilidade representa a possibilidade de o consumidor conhecer “a vida pregressa” dos produtos e identificar os possíveis perigos à saúde coletiva a que foram expostos durante a sua produção e distribuição. Esses registros permitem identificar até mesmo a origem das matérias-primas e insumos utilizados na produção.
O Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bufalos (Sisbov), criado e mantido pelo Ministério da Agricultura, registra e controla as propriedades rurais que voluntariamente optaram por vender carne a mercados que exigem rastreabilidade individual.
A avaliação técnica dos registros pode, em muitos casos, levar à aplicação de medidas preventivas, como o recolhimento da produção exposta à venda, antes que cause algum impacto à saúde pública.

Os registros gerados pela indústria devem respeitar o princípio da rastreabilidade conhecido como “um passo à frente, um passo atrás”, permitindo a identificação, tanto pelos compradores dos produtos, como pelos fornecedores de matérias-primas e insumos.

No Brasil, os requisitos básicos à rastreabilidade, como documentação e registros, estão previstos no item 7.7 do Regulamento Técnico sobre as Condições Higiênico-sanitárias e de Boas Práticas de Elaboração para Estabelecimentos Elaboradores/Industrializadores de Alimentos, aprovado pela Portaria 368/1997, do Ministério da Agricultura. Não há legislação específica sobre a rastreabilidade para os produtos de origem animal.

saiba mais sobre pecuária aqui!

COMO CULTIVAR COGUMELO SHITAKE EM TORAS DE EUCALIPTO


Com este video-curso "Como Cultivar Cogumelos Shitake", você terá uma produção totalmente natural, fácil e lucrativa. O Shitake é um cogumelo de sabor acentuado, de uso crescente na culinária. Além disso, pelas suas características terapêuticas e medicinais é conhecido como o cogumelo da longevidade. Aprenda com este vídeo todos os segredos do cultivo. Acompanha manual técnico com custos de produção para 1 mil, 5 mil, e 10 mil toras de eucalipto, bem como a sua análise financeira.

Conteúdo:
-Escolha da madeira
-Tratamento das toras
-Inoculação
-Vedação
-Local de incubação e descanso
-Irrigação e os cuidados com a cultura
-Imersão na água
-O choque térmico
-Barracão de emergência e frutificação
-Colheita
-Comercialização.

Duração aproximada: 40 Minutos.

Saiba mais sobre cogumelos

Criação de ovinos e caprinos

KIT CAPRINOS E OVINOS DECA

10 DVD'S

Alimentação e Nutrição de caprinos e Ovinos
Inseminação Artificial em caprinos e Ovinos
Ovino de Corte Dorper e seus Cruzamentos
Criação e Manejo da Raça Santa Inês
Manejo Sanitário de Ovinos
Como Cria Ovinos de Corte Vol. 1
Como Cria Ovinos de Corte Vol. 2
Caprino de Corte - Raça Boer
Sistema Intensivo de produção de Cordeiros
Ovelha a Pasto

Compre o kit de ovinos e caprinos aqui!

CRIAR ABELHAS É LUCRO CERTO

Como obter lucro na criação de abelhas? Conheça este trabalho completo sobre a criação de abelhas e a produção de mel, nele são estudadas as diversas abelhas, entre as quais, a italiana e a alemã.
A aquisição, a captura e a seleção dos enxames são outros aspectos da máxima importância, na formação do apiário.
Todos esses assuntos são tratados neste livro, como também as grandes vantagens e os bons lucros que a apicultura pode proporcionar.

Saiba mais sobre Abelhas

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Como Criar Galinha Caipira Para a Produção de Ovos no Sistema Frango Feliz

Neste curso, você verá passo-a-passo de como criar a galinha caipira colonial para a produção de ovos.
No sistema de criação "Caipira ou Colonial", as aves têm acesso a um piquete onde podem correr pular, alimentar-se de plantas, insetos e minhocas. Resultando em ovos com aparência e sabor próprios, que o mercado reconhece e remunera de forma diferenciada. Onde o consumidor se dispõe a pagar pelo ovo caipira até o dobro do preço do ovo comum, tornando a atividade de criação de galinha caipira muito rentável.
As frangas iniciam a postura de ovos já no 5° mês de vida. E normalmente, a produção se mantém viável economicamente até os 20 meses de vida.
Adotando este sistema de criação você já estará empregando uma tecnologia que vai ser obrigatória muito em breve. Desde janeiro de 2012, a União Europeia proibiu o confinamento de poedeiras em baterias de gaiolas.
 Conteúdo:
 -Mercado e legislação de ovos caipira
-Instalações: Solo, Relevo, Água, Galpões ( características e dimensionamento)
-Cria
-Recria: Alojamento, Alimentação, Vacinações
-Estimulo para produção de ovos:  Iluminação artificial, Alimentação
-Fase de Postura: Alimentação, Coleta de ovos, Processamento do ovo (estocagem/embalagem)
-Rações

 Consultoria:
Prof. Dr. Antonio Augusto Domingos Coelho
Prof. Dr. Vicente José Maria Savino

ESALQ - USP - Departamento de Genética

aprenda mais sobre a produção de ovos caipiras

Como Produzir Uva de Mesa Irrigada - Tipo Exportação

As técnicas mostradas neste vídeo, permitem que você produza 4.800 caixas por hectare com custos muito baixos se comparados com um faturamento potencial de 40 mil dólares. Sao técnicas comprovadas nas melhores produçoes de uva do semi-árido. Essa regiao representa uma área de 70% do Nordeste Brasileiro. Sao 13% das terras do Brasil. Além de muita área, tem um clima extraordinário que permite produzir 3 safras ao ano de uva de mesa. Sem dúvida, aí está uma boa alternativa de investimento para o empreendedor rural. Confira você mesmo.

Conteúdo: Implantaçao do parreiral Adubaçao de plantio e produçao Tratos culturais Irrigaçao Produtividade e Fenologia Pragas e Doenças Colheita p/ exportaçao Packing House ou Casa de Embalagem Custos e mao-de-obra.

Consultoria: Belgo Mineira.

Duração aproximada: 60 Minutos.

Saiba mais sobre o cultivo de uvas aqui!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

O gado de leite


Gado de Leite - Boas raças, alimentação balanceada e manejo correto enchem o balde de leite e garantem o futuro dos reprodutores. Raças Holandesa - É a raça européia mais difundida para a produção de leite. Num período de lactação que varia de 260 a 300 dias, uma vaca dessa raça pode produzir em média de 4 000 a 6000 litros, com taxa de gordura de 4%. Embora sejam animais bastante exigentes quanto à alimentação e manejo, as holandesas formam hoje o maior rebanho de gado europeu do país, com cerca de 510 000 cabeças registradas. A maior concentração se dá nas regiões Sudeste e Sul - 90% do rebanho estão nos estados de São Paulo (35%), Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul -, apesar de ser encontrada em todo o território nacional. Também é bastante utilizada em cruzamentos para aumentar o potencial genético de outras raças, gerando bons garrotes mestiços para engorda. A raça se divide em dois tipos de animais, diferenciados por sua pelagem: a malhada de preto e branco e a malhada de branco e vermelho. São animais grandes: as fêmeas têm em média 1,42 metro de altura e 600 quilos de peso, e os machos medem 1,52 metro e pesam 900 quilos, em média. Têm tronco bem desenvolvido, ventre e úbere grandes, e membros de comprimento médio, vigorosos. Os animais de pelagem branca e preta são muito resistentes e suportam climas quentes e secos, sendo criados em todo o mundo. Já o gado de pelagem vermelha e branca é criado em poucos países, por ser menos produtivo, embora mais resistente. Jersey - Originária da ilha de Jersey, no Canal da Mancha, entre a França e a Inglaterra, é conhecida pela docilidade dos seus animais e pelo alto teor de gordura do leite. As vacas produzem em média 3 000 litros de leite por lactação, com 4,5% de gordura (pelo alto grau de elementos graxos, o leite do Jersey é o preferido pelos laticínios). No Brasil, o gado jersey predomina nas regiões Sul e Sudeste, principalmente nos estados de São Paulo Minas Gerais. Rio de Janei-ro, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul (30% do rebanho), com um total estimado de 70000 animais registrados. Apesar de ser um gado leiteiro europeu, o jersey se adapta com facilidade às diferentes condições climáticas do país. Ajusta-se ao manejo intensivo ou ao de granja e possui grande longevidade - é comum encontrar vacas com 17 anos de idade que ainda produzem. São animais de pequeno porte, com as fêmeas atingindo 1,26 metro de altura e 320 quilos de peso e os machos, 1,36 metro e 450 quilos de peso, em média. Caracteriza-se por sua pelagem parda, cinzenta ou amarelada. Os machos podem apresentar pelagem quase preta. Têm perfil côncavo, corpo delicado e anguloso e os machos são mais nervosos e inquietos que as fêmeas. Gir - Raça zebuína de grande importância na pecuária de corte, o gir também é criado para a produção de leite, especialmente nas regiões de clima mais quente, onde se adapta melhor. Por sua mansidão e porte médio, é uma Taça recomendada para pequenas propriedades em regime semi-intensivo. Produz em média 2 500 litros por lactação, com 4,2% de gordura. Excepcionalmente, algumas reprodutoras têm alcançado 4000 litros em uma lactação. Distribuído principalmente pelos estados de Minas Gerais. São Paulo e Goiás, o rebanho gir soma hoje no Brasil cerca de 760 000 cabeças. raça caracteriza-se por diversos tipos de pelagem: vermelha, chita de vermelha e amarela, tonalidades de amarelo, rosilho-claro (moura de vermelho), moura-clara (orelhas e cabeça parcial ou totalmente pretas) e moura-escura. Distingue-se das outras raças zebuínas pela forma de cabeça, de fronte larga, lisa e proeminente; as orelhas são de comprimento médio, pendentes e bem típicas; e apresenta cupim em forma de rim ou de castanha de caju. GiroIanda - É uma raça formada no Brasil por meio de cruzamentos entre animais das raças holandesa e gir (5/8 holandês e 3/8 gír), ganhando com isso alta produtividade e rusticidade. Aceita bem qualquer tipo de pasto e resiste ao clima quente, mantendo produção média de 3 000 litros por lactação, com 3,5% de gordura. Está concentrada nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Os animais girolandos têm estatura média e temperamento dócil, com pelagens preta, castanha ou vermelha uniforme, com manchas brancas em forma de estrela, gargantilha, bragada e pintas.

Saiba mais sobre o raças de gado de leite

O Gado de Corte



O gado bovino é uma das principais fontes de proteína animal para a alimentação humana. Com isso. o desenvolvimento da pecuária de corte toma-se de fundamental importância para a economia de praticamente todos os países. principalmente para o Brasil, com sua enorme extensão territorial e uma população na casa do milhões de habitantes. Mas, até o momento da carne bovina servir de alimento ao homem, é necessário um grande trabalho de criação e manejo, que corneça com a escolha da raça. No Brasil são criados bovinos de origem européia (Bos taurus taurus) e de origem asiática. conhecido como zebu (Bos taurus indious). Dentro desses dois grupos existern várias raças com características para pecuária de corte. Esse tipo de gado tem o corpo em forma retangular. como um paralelepípedo, ou mesmo cilíndrico, com costelas bem arqueadas. O traseiro, onde estão as carnes maís nobres, e o dianteiro são bem desenvolvidos. O rendimento em carne desses animais é normalmente de 53 em relação a seu peso total. Condições para criação - O gado de corte precisa ter boas condições para a engorda. Aí entram corno fatores determinantes o clima, a qualidade das pastagens e a suplementação alimentar. O território brasileiro fica em grande parte em clima tropical, favorecendo o gado zebu, originário da Índia, cujo clima é semelhante ao nosso. Sua rusticidade, capacidade termo-reguladora e resistência às doenças levaram o zebu a se adaptar e produzir melhor nas terras acima do Trópico de Câncer, que passa por São Paulo e norte do Paraná. No sul do país, num clima subtropical. predominam as raças europeias.
Saiba mais sobre Gado de Corte aqui!

CORREÇÃO DE CAVALOS DE VAQUEJADA


Você aprende com o treinador Steve Bezerra alguns exercícios que servem para a correção de problemas de cavalos de vaquejada.

Este trabalho não é feito só dentro da pista. Você deve voltar um pouco, fazer com que seu cavalo aprenda o princípio mais simples que é "sair da pressão"

1 - Flexionamento
2 - Charreteamento
3 - Caminhar com o cavalo
4 - Trilhar o boi dentro e fora da pista
5 - Alinhar o boi em ambos os lados
6 - Escantear voltando para a porteira

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador
Salóa - PE - Brasil

DVD com Duração aproximada de 51 minutos

saiba mais sobre vaquejada

Manejo Intensivo de Pastagens

Aprenda as técnicas de manejo intensivo de pastagem.
Este vídeo ensina como extrair o máximo potencial das pastagens através do manejo intensivo, aumentando significativamente a produtividade de seu rebanho.
A palavra chave para o aumento de produtividade e rentabilidade é intensificação. Em muitos casos, pode-se adotar um sistema intensivo, apenas ajustando a oferta da forragem, mesmo sem grandes divisões de áreas, ajustando a carga animal, e com algumas medidas de baixo investimento obter uma melhora sensível nos índices de produtividade e lucratividade.
Conteúdo:
. Princípios do Manejo Intensivo de Pastagens.
. Diagnóstico da Área.
. Implantação de um Sistema Intensivo.
. Manutenção do Sistema de Irrigação.
. Benefícios do Sistema


Técnico: Pesquisador Armindo N. Kichel
Duração aproximada: 46 Minutos.
Produzido em parceria com a EMBRAPA Gado de Corte de Campo Grande - MS

Saiba mais sobre pastos

Arreios para cavalos de vaquejada

Neste curso em video, Steve Bezerra mostra como utiliza os arreios.  Primeiro na fase inicial da doma  mostrando como  inicia,  flexiona e charreteia os animais e quais os arreios utiliza. Após vem a fase de quando se inicia os flexionamentos na boca e, mostrando também quais são os bridões utilizados.  Depois apresenta os arreios de correção. E por último mostra como gosta de utilizar os freios, o inicio de cada um, o inicio do bocado, cada tipo e como utiliza dentro da vaquejada.

Conteúdo:

1 - Fase de flexionamento
2 - Bridão
3 - Arreios de correção
4 - Fase de freios
5 - Levantadores
6 - Freios fixos
7 - Arreios definitivos
8 - Breques

Consultoria:

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador de Cavalos
Saloá - PE


saiba mais sobre vaquejada aqui!

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Treine seu cão para Agility

Agility é um esporte que cresce muito no Brasil, seja para competição ou para o lazer. E há bons motivos para isso: 1. Ele valoriza o cão, dando-lhe mais segurança e alegria 2. É uma excepcional forma de condicionamento físico ao cão e ao condutor 3. é muito eficiente como treinamento para obediência 4. Poucas atividades unem tão intensamente o cão ao seu dono.

Conteúdo: a). ensinando cão e dono a abordar cada obstáculo. b). Treinamento básico e obediência. c). PSIC: programa social de integração canina. d). Agility e jumping. e). Pista de prova. f). Campeonatos.

Saiba mais sobre como treinar seu cão!

K-9 ADESTRAMENTO AVANÇADO DE CÃES PARA SEGURANÇA

Em "K-9 - Adestramento Avançado de Cães para Segurança", você terá as orientações necessárias para adestrar cães de acordo com treinamento avançado desenvolvido para defesa e segurança. O adestramento de cães para a função de segurança vem se desenvolvendo cada vez mais nas organizações militares, policiais e também nas empresas de segurança privada. O termo K-9 começou a ser utilizado pela polícia norte americana para designar a seção encarregada de treinar e utilizar cães nas missões de segurança dos departamentos de polícia do país.

 Conteúdo:
-Requisitos básicos do cão
-Seleção do cão
-Localização de pessoas
-Ataques
-Busca em veículos
-Busca em Ambiente Fechado

Saiba mais sobre treinamento de cães!

CÃES DE GUARDA - PARA SEGURANÇA PATRIMONIAL E EMPRESARIAL

Um vídeo para quem deseja cuidar de seu patrimônio. Ideal para empresas de segurança, treinadores e proprietários de casas e fazendas que desejam cães que cuidem de todo o território e sejam obedientes aos seus donos.

Conteúdo: CÃES DE GUARDA Na Segurança preventiva Técnicas de Adestramento Raças Indicadas Prevenção de Acidentes e Envenenamento Importância do uso integrado de machos e fêmeas O cão em ação em companhia do vigilante O cão agindo sozinho O cão atrás do cercado O cão a frente do cercado A agressão e tiros Perseguição e Neutralização de Agressores.

Saiba mais sobre Cães de Guarda.

Formação de Pastagens

Aprenda as técnicas de como formar uma pastagem.
Um sistema de produção eficiente começa na formação de boas pastagens.
A escolha da forrageira é um dos passos mais importantes na implantação do pasto.
Uma boa formação de pastos tem início na correção e adubação do solo.
Com a coordenação técnica da Embrapa Gado de Corte, você verá como maximizar o aprovitamento dos recursos das pastagens.
Conteúdo:
- Escolha da forrageira
- Preparo do solo
- Adubação e calagem
- Adubação
- Plantio
- Manejo da formação
Técnico: Pesquisador Ademir Hugo Zimmer
Duração aproximada: 50 Minutos.
Produzido em Parceria com a Embrapa Gado de Corte

O TRATOR DE ESTEIRAS NA FAZENDA - APLICAÇÃO E MANUTENÇÃO

O trator de esteiras numa propriedade é uma máquina que resolve muitos problemas. Na safra você faz todo o preparo do solo. Na entre safra você reforma estradas, faz açudes, destaca e desbrava terrenos, faz terraços e muito mais. É trabalho o ano todo. Esses tratores compactam menos o solo, ajudando na manutenção e no aumento das safras. Isso representa mais dinheiro no seu bolso. Sao máquinas projetadas para tracionar grandes cargas, sem comprometer a vida útil de seus componentes. Conheça neste vídeo todas as possibilidades dessa máquina na sua fazenda, e também, como fazer a manutenção do trator de esteiras.

Conteúdo:
-Parte 1 - APLICAÇÃO
-Características e funcionamento
-O trabalho na fazenda
-A compactação do solo
-A patinagem dos rodados
- Parte 2 - MANUTENÇÃO
-Os comandos e os controles
-A manutenção diária e quando                  
-A manutenção das 50, 100, 250, 500, 1000, 2000, e 3000 horas de uso.

Aprenda mais sobre máquinas agrícolas!

Alimentação e Nutrição de Caprinos e Ovinos

Muita gente acredita que o futuro da pecuária está na criação de animais de pequeno porte como a criação de ovinos e caprinos. Estes animais ocupam pouco espaço, são mais fáceis de manejar e são bastante eficientes na produção de carne, leite e lã. Ovinos e caprinos são ruminantes como os bois, mas apresentam certas particularidades. E para eles também vale aquele dito que afirma que "o animal é feito pelo que come". Portanto, se o objetivo é produtividade com eficiência, é fundamental cuidar da alimentação e da nutrição de caprinos e ovinos. Em "Alimentação e Nutrição de Caprinos e Ovinos" você verá como alimentar bem seus animais, garantindo o lucro na criação.

Conteúdo:

-Ruminantes

-O que comem

-Como comem

-Volumosos e concentrados

-Pastagens

-Mineralização

-Categorias

-Carne, leite e lã.

Saiba mais sobre a criação de ovinos