sexta-feira, 29 de julho de 2016

Curió - Criação e Manejo

Você vai acompanhar neste vídeo a criação e o manejo de curiós a partir de técnicas adquiridas e explicadas pelos maiores criadores da espécie.
 Um sistema que combina uma correta alimentação para as diversas fases de criação; o manejo diário, os cuidados fundamentais com a sanidade, as técnicas mais eficientes para a reprodução em cativeiro, as instalações adequadas, o treinamento para canto, a comercialização, leis e muitos outros detalhes sobre a criação deste pássaro nobre.

Conteúdo:
-Origens do curió
-Instalações necessárias para a criação
-Estrutura das gaiolas
-Alimentação
-Reprodução (Acasalamento, ovos e filhotes)
-A saúde das aves
-O canto do curió
-Competições e campeonatos
-Informações necessárias para quem deseja iniciar uma criação

Veja aqui como iniciar uma criação de Curió!

Como Criar Carpas - Engorda, Extração de hipófise e Ovas em conserva

Em "Como Criar Carpas - Engorda - Extração da Hipófise - Ovas em Conserva" , você verá porque criar peixes é um ótimo negócio! E as carpas são um bom exemplo disso. Além da grande fartura na produção de carne, você aproveita o restante dos peixes, comercializando produtos nobres: o carpiar, por exemplo, que são ovas preparadas em conserva, muito saborosas e valorizadas no mercado. E ainda a extração da hipófise, uma glândula da carpa utilizada para a reprodução de todas as espécies de peixes criadas e reproduzidas em cativeiro. Veja neste vídeo-curso todos os segredos para obter lucro e satisfação na criação de carpas. Passo a passo.

Conteúdo:
-Adubação do viveiro
-Aplicação dos adubos orgânicos e químico
-Controle da adubação dos tanques
-Alimentação dos peixes com ração
-Policultivo de diferentes espécies de carpas
-Despesca
-Extração e conservação da hipófise
-Preparo do carpiar ( ovas em conserva)
-Análise econômica.

Aprenda como criar carpas.

COMO CRIAR COELHOS

Na criação de coelhos , após 30 dias de gestação, com ninhadas de 7 filhotes, os coelhos estão prontos para o abate com apenas 8 semanas de vida. Uma granja com 1.200 matrizes e 120 machos produz 44.000 animais/ano para o abate. São 3.700 coelhos por mês. Você aproveita pele e carne com excelentes resultados em pequenas, médias ou grandes criações.

Conteúdo: As Raças mais criadas no Brasil Identificaçao e Registro do Coelhário As Instalações A Reprodução (cio - acasalamento - parto) O Manejo do crescimento à engorda As Doenças O Abate e o aproveitamento das peles.

Saiba mais sobre a criação de coelhos!

RECRIA E ENGORDA - RÃS - SISTEMA VERTICAL RANABOX

O sistema de criação de rãs Ranabox, é o sistema do século 21. São rãs que se deixam tocar. Todas elas ali, ao alcance do seu braço. Suas rãs vão comer somente ração, num ambiente limpo, branco e 100% aquático. O ranário pode ser instalado dentro de casa, no fundo do quintal, ou no sítio, conforme o tamanho do seu projeto de criação, você pode fazer uma programação mensal desde poucas rãs, até milhares delas, já que o sistema permite criar até 1.600 rãs por metro quadrado, quando montado com 21 andares e o abate é feito em apenas 90 dias com baixíssimo investimento, e retorno de capital a curtíssimo prazo, este sistema de criação de rãs é o que existe de mais moderno em recria e engorda de rãs no mundo.

Conteúdo:
-Como montar o equipamento
-Como fazer a limpeza e desinfecção
-Como instalar o lote inicial de rãzinhas de um dia
-Como fazer o manejo diário
-Como fazer o manejo semanal
-Como dimensionar o conjunto de equipamentos p/ a produção desejada
-Como dimensionar o galpão (instalações)
-Como fazer o abate de rãs
-Investimentos, custos e retorno financeiro.

Saiba mais sobre a criação de rãs!

Como Criar Suínos - Nascimento, Cria e Recria

Este videocurso mostra passo a passo o manejo correto dos suínos, para se obter os melhores índices produtivos na suinocultura e, conseqüentemente, a maior lucratividade. Para isso é necessário um bom manejo nutricional, cuidados específicos na maternidade e durante o parto, cuidados para processar a leitegada (corte dos dentes, corte da cauda, aplicação de ferro, tatuagem e castração) e os cuidados na fase de recria e engorda.
Videopar, você vê, você faz e o lucro aparece!

Conteúdo:
-Momento do parto
-Atendimento aos recém-nascidos
-Maternidade
-Corte dos dentes
-Corte da cauda
-Aplicação de ferro
-Tatuagem
-Castração
-Alimentação da porca durante a lactação
-Alimentação de leitões
-Desmame
-Recria

Saiba mais sobre a criação de suinos!

quinta-feira, 28 de julho de 2016

O FRANGO PESADÃO E OUTRAS RAÇAS


Neste vídeo-curso, você verá a criação do Frango Pesadão e de outras raças caipiras, tanto para produção de ovos como de carne. A cada dia surgem novas tendências de mercado com relação aos produtos alimentícios, uma delas, é a produção de alimentos produzidos da forma mais natural possível.

É nesta oportunidade de negócio que se enquadra a criação de "Frango Pesadão & Outras Raças", criadas em regime de semi-confinamento, onde consomem ração, pasto, inseto, etc.

Neste vídeo, você acompanha todas as etapas de uma criação familiar de galinhas, onde existe a presença do galo e da galinha choca, sendo a produção destinada ao consumo da família.

E também uma criação comercial com raças específicas para corte e outras para postura. Uma excelente alternativa para diversificar a produção em sua propriedade.

Conteúdo:

Criação Familiar:

-Instalações (galinheiro, piso, puleiro e ninho),

-Galos e Galinhas (a escolha, quando trocar),

-A choca dos ovos (a boa choca), manejo geral (como criar pintainhos, colheita dos ovos)



Criaçao Comercial:

-Instalações (como dimensionar os galpões)

-Aves de Corte(Label rouge, pesadão e híbridos comerciais),

-Manejo geral (fases de criação),

-Alimentação (ração e pasto)

-Aves de Postura(exemplos de raça)

-Manejo das aves (ninhos,luz artificial, índices),

-Alimentação (raçao e pasto)

-Galinha da Angola (informações básicas)

-Higienização (galpão e equipamentos)

-Vacinação e vermifugação

Consultoria:
Méd. Vet. Sebastião G. Franco - Doutor em Produção de Aves - Prof. Un. Fed. Paraná e Méd. Vet. Ronaldo Flemming - Mestre em Nutrição Animal - Prof. Un. Fed. Do Paraná.

Saiba mais sobre a criação de frangos caipiras!

Formação básica de cavalo e cavaleiro

Diretrizes para Equitação e Atrelagem - Vol 1: Formação básica de cavalo e cavaleiro

Este livro é a tradução do original alemão "Richtlinien für Reiten und Fahren Band 1"Prefácio da Edição Alemã
Há 40 anos, foi lançada na Alemanha a primeira edição das Diretrizes para Equitação e Atrelagem. Desde então foram publicadas 28 edições com mais de 250.000 exemplares. Em seus diversos volumes, as "Diretrizes" constituem a referência padrão para o conhecimento básico sobre cavalos e esportes equestres. Para uso internacional, foram traduzidas para o inglês e o espanhol, entre outros idiomas.
Mantendo as normas de equitação comprovadas em décadas passadas, o volume 1 das Diretrizes pretende garantir uma formação básica padronizada nos clubes hípicos, nas escolas de equitação e nos estabelecimentos particulares. A formação de cavalo e de cavaleiro dá-se segundo os princípios da equitação clássica. Neste processo, algumas máximas são sempre respeitadas:
- o cavalo bem treinado é o melhor professor;
- um cavalo jovem deve ser montado por um cavaleiro experiente.
A formação elementar aqui descrita serve não apenas pra a preparação para competições e provas funcionais, porém antes disto pretende criar os pré-requisitos para todas as atividades relacionadas ao esporte equestre. A observância destes princípios leva ao treinamento correto do cavalo, possibilitando ao cavaleiro praticar seu esporte comprazer e segurança.
Nessa edição totalmente revista, foram alteradas subdivisão, aparência e ilustrações. As considerações psicológicas referentes à colaboração entre cavalo e cavaleiro recebem maior consideração. Além disto, foram ampliadas e complementadas as seções de trabalho de salto e de cross-coutry, para realçar o valor de uma formação básica diversificada.
As "Diretrizes para Equitação e Atrelagem" são parte integrante do ensino clássico da equitação e da atrelagem. Elas são o fundamento para a formação de todos os cavaleiros, condutores e juízes que se sentem comprometidos com esse ensino.
Concluindo, o respeito aos "princípios éticos" é um compromisso para todos aqueles envolvidos com cavalos.
FN(Federação Equestre Alemã) - Setor de Esportes
Maio de 1994
28ªEdição - Ano 2005

Saiba mais sobre cavalos aqui!

terça-feira, 26 de julho de 2016

O Cavalo

Após mais de vinte anos sem um livro generalista nacional sobre cavalos, surge O
Cavalo: Características, Manejo e Alimentação, uma obra completa e atualizada
sobre a equinocultura brasileira.
O autor, além de incomensurável amor pelos cavalos, é criador, cavaleiro, médico
veterinário, professor de diversas disciplinas veterinárias, consultor,
articulista, dentre outras funções, com grande experiência em cada área.
É especialista em nutrição de cavalos. Por isso, este livro aborda, com
propriedade, todos os tópicos necessários para conhecimento sobre criação,
mercado, manejo, alimentação (garanhões, éguas em reprodução, potros, cavalos
de esporte e trabalho, animais idosos) e muito mais.
Um livro indispensável para veterinários, zootecnistas, estudantes, criadores e
todos os que, de algum modo, estão ligados ao meio equestre no Brasil.

Autor: André Galvão de Campos Cintra

Saiba  mais sobre a criação e manejo de cavalos aqui!

CRIAÇÃO DE GALINHAS CAIPIRAS

COLEÇÃO ABC DA AGRICULTURA FAMILIAR

O que o produtor rural precisa saber sobre as formas de criar galinhas caipiras, desde a escolha das melhores aves para começar a criação até o potencial econômico do negócio, com geração de trabalho e renda, é o objetivo deste 19o. volume da série ABC da Agricultura Familiar, editado pela Embrapa Informação Tecnológica. A publicação inclui ainda recomendações práticas e bem detalhadas relacionadas à instalação de galinheiros, ambientes de postura e engorda, alimentação e controle de doenças. Produzido em tamanho de bolso, é de fácil manuseio e leitura simples, com o objetivo de orientar e contribuir com a disseminação da informação entre pequenas propriedades.

Saiba mais sobre criação de galinhas caipiras aqui!

Produção de Abelha Rainha pelo Método de Enxertia

Produção de Abelha Rainha pelo Método de Enxertia

A abelha rainha é o elemento determinante no processo de fabricação de mel de boa qualidade. Para que o apicultor tenha sucesso na criação de abelhas, é necessário que dê a elas boa florada e um adequado manejo.

Com a edição do manual técnico "Produção de abelha rainha pelo método da enxertia", a LK Editora visa orientar os leitores sobre alguns procedimentos importantes para a obtenção de rainhas através deste método, que consiste na transferência de larvas de 1 dia da colônia matriz para a colônia recria através de cúpulas de cera, acrílico ou outro material recomendado para esse processo.

Autores:

Marcelino Champagnat Boaventura: Engenheiro Agrônomo e Mestre em Ecologia.

Guaracy Telles dos Santos: Técnico Agropecuário e Especialista em Manejo Apícola.

Saiba mais sobre a criação de abelhas!

segunda-feira, 25 de julho de 2016

CASQUEAMENTO E FERRAGEAMENTO DE EQUINOS

Os cascos são as bases de sustentação e propulsão dos equinos, por isso merecem bons tratos, pois, além de suportarem o peso do animal, em seu contato direto com o solo, sofrem as consequências diretas desses impactos. Dessa forma, é de suma importância que se proceda ao casqueamento, para propiciar a conformação ideal dos cascos, maior conforto e aprumo ao animal, e ao ferrageamento do equino, para preservar a integridade das estruturas dos cascos.

Com a edição do manual técnico "Casqueamento e ferrageamento de equinos", a LK Editora visa orientar seus leitores sobre todas as operações para se fazer o casqueamento e o ferrageamento, desde o conhecimento da profissão de casqueador/ferrador, dos cascos dos equinos e dos cuidados que se deve ter com os cascos, as verificações das condições de aprumo do animal, a sua contenção até o casqueamento e ferrageamento.
Autores

Wanderley Veloz: Capitão R1 - Exército Brasileiro, Mestre ferrador (Marechal Ferrant) e técnico em ortopedia e podologia equina - Escola Veterinária do Exército e Escola Nacional de Equitação SAMUR - França, Instrutor de ferrageamento - Escola Veterinária do Exército, Técnico em Equoterapia - Associazone Nacionale Italiana de Riabilitazione Eqüestre, Técnico em aprumos (Marechalerie) - Escola Nacional de Equitação SAMUR - França - e Instrutor do SENAR desde 1995, tendo participado como instrutor em quase todos os Estados do Brasil e em alguns países como: França, Argentina, Uruguai e Chile.

Tenha mais informações sobre Casqueamento e Ferrageamento de Equinos aqui!

Consorciação de Pastagens - Uso de Leguminosas

Aprenda como fazer a consorciação de leguminosas com capins.
Obter pastagens bem formadas e produtivas depende diretamente das condições de fertilidade do solo. Porém, os solos do Brasil, especialmente da região dos cerrados são pobres, apresentam uma acidez elevada e são deficientes em elementos minerais como nitrogênio, fósforo, cálcio, magnésio, potássio, enxofre e micronutrientes. Essa deficiência natural pode ser facilmente corrigida pela calagem e adubação. O grande problema é o fornecimento de nitrogênio às pastagens. Uma forma mais econômica e natural de fornecer nitrogênio é a utilização de leguminosas forrageiras. As leguminosas têm capacidade de absorver o nitrogênio do ar e fixá-lo ao solo, tornando esse elemento disponível às outras plantas.
Com a coordenação de técnico da Embrapa Gado de Corte, desenvolvemos este trabalho que mostra como consorciar pastagens com o uso de leguminosas.
Conteúdo:
- Principais espécies de leguminosas.
- Implantação de sistemas consorciados em Estilosantes Campo Grande.
- Formação de uma pastagem consorciada.
- Implantação sobre pastagens formadas.
- Manutenção.
- Recuperação de pastagens degradadas.
- Resultados.

Técnico: Pesquisador Jairo Mendes Vieira .
Produzido em parceria com a Embrapa Gado de Corte.

O Cultivo e beneficiamento de Ervas Medicinais e Aromáticas

Veja nesse vídeo, o cultivo e beneficiamento de plantas medicinais e aromáticas que representam uma ótima opção em sua propriedade rural. Através de um mercado comprador forte e cada vez mais exigente, o cultivo dessas plantas pode ser muito lucrativo. Farmácias, Indústrias de Chás, Cosméticos e Perfumaria, Manipuladores, Indústria de Alimentos e Bebidas. Para isso, basta conhecer os detalhes do cultivo das ervas medicinais e aromáticas que são mostrados neste vídeo. 

Conteúdo:

-As finalidades do cultivo de ervas
-Os fatores climáticos
-Altitude
-Temperatura
-Umidade
-Manejo dos cultivos
-O viveiro
-A multiplicação das plantas e o manejo
-Adubação
-O preparo do solo
-Irrigação
-Controle de pragas e doenças
-Escolha da área de cultivo
-Rotação de culturas
-Controle das ervas daninhas.

 

Como instalar uma mini fábrica de polpa de frutas

Em Mini Fábrica de Polpa de Frutas", você verá como alguns produtores de frutas fazem para diminuir graves problemas da comercialização. Preços baixos, frutas estragadas, produção fora do pico de consumo, estes e tantos outros problemas estão com os dias contados. Como? Industrializando a polpa das frutas. Fica mais fácil conservar, embalar, transportar e vender. Tudo isso com uma pequena indústria, que você mesmo instala, com pequeno investimento. Aqui você encontra todas as dicas para instalar e operar uma pequena e lucrativa indústria. Encontra também depoimentos de produtores bem sucedidos, mostrando que a rentabilidade do negócio é altamente compensadora.

Conteúdo:
-A lei
-Matéria prima
-Como produzir a polpa do maracujá, morango, abacaxi
-Local para instalações
-A construção
-Equipamentos
-As frutas e a industrialização
-Comercialização
-Investimento.

Duração aproximada: 45 Minutos.

Saiba mais sobre Agroindústria aqui!

O Cavalo de Sela Brasileiro

Este curso transmite as técnicas de equitação e a experiência de Fernando Mello Vianna sob o adestramento do cavalo de sela brasileiro, tendo como ponto de partida o adestramento básico e sua importância no desenvolvimento desse cavalo durante sua vida.
O trabalho com o cavaleiro montado, conhecido também como "doma de cima" é apresentado neste curso através dos seguintes tópicos:
- Uso das Ajudas(comandos para execução dos exercícios de equitação): Ajuda de pernas, mãos e corpo;
- Comando de voz;
- Ajudas Artificiais;
- Passo Livre;
- Exercícios de Partida;
- Marcha;
- Transição Passo/Marcha;
- Galope;
- Alongamento;
- Flexibilidade;
- Baliza;
- Recuo;
- Reunião e Alongamento ao Galope;
- Alto na Marcha;
- Reunião e Alongamento na Marcha;
- Atitude ideal na Marchas.
Instrutor: Fernando Mello Vianna
CTE Mello Vianna

Saiba mais sobre cavalos aqui!

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Aprenda a plantar Crisântemo

"Como Cultivar Crisântemo", você terá informações essenciais para o cultivo do crisântemo. Aprenda sobre a produção de mudas, o plantio do crisântemo de corte e em vasos, a técnica de controle da floração, (ou controle da luminosidade) que propicia a produção de flores o ano todo. Além disso, você aprenderá sobre irrigação e adubação, colheita e dicas para a comercialização.

Conteúdo:
-Introdução
-Escolha da área
-Obtenção de mudas
-Preparo do canteiro p/ Crisântemo de corte
-Plantio no vaso
-Tratos culturais
-Irrigação
-Adubação
-Controle da luminosidade
-Colheita
-Comercialização

Aprenda como cultivar crisântemos aqui!

Aprenda a fazer poda de frutíferas

Poda de Árvores Frutíferas

Este vídeo-curso, "Como Fazer Poda de Árvores Frutíferas",
mostra passo a passo, como conseguir árvores frutíferas bem formadas e mais produtivas a partir da muda. Em detalhes, você aprende a fazer, como e quando podar e como chegar às melhores colheitas.

Conteúdo:
-Quando a poda aumenta a frutificação
-Princípios da poda
-Poda de condução e frutificação para uva, figo e ameixa
-O que eliminamos e o que podamos
-Condução de uva em espaldeira, pergula ou latada e manjedoura
-Condução de ameixa em taça.

saiba mais sobre frutíferas aqui!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Coleção cavalos



TÍTULOS DO KIT 10 ESTRELAS CAVALOS

 VAQUEJADA – Consultor: Treinador Steve Bezerra
1- DVD - Doma Racional para cavalos de Vaquejada – Com 3 Discos
2- DVD - Treinamento Báscio de Rédeas para Cav. Vaquejada – Com 01 Disco
3- DVD - Sistema de Treinamento para cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
4- DVD - Correção de cavalos de Vaquejada – Com 01 Disco
5- DVD  - Arreios para Cavalos de Vaquejada- Com 01 Disco
DOMA RACIONAL – Consultor Paulo Nazário
6– DVD -  Guia Prático da Doma - Iniciação a Rédeas – 03 Discos
7 – DVD - Guia Prático de Doma - Iniciação de Potros – 03 Discos
FREIOS E BRIDÔES – Consultor João do Freio
8 – DVD -  Freios e Bridões para Cavalos – 01 Disco
TRÊS  TAMBORES – Consultor Marinaldo Pegos
9 – DVD - 3 Tambores - Treinando com Marinaldo Pegos – 02 Discos
CASQUEAMENTO E FERRAGEAMENTO – Consultor Dr Fabio Furquim
10 -  Como Fazer Casqueamento e Ferrageamento Básico – 02 Discos

Saiba mais sobre cavalos aqui!

Inseminação Artificial em Ovinos e Caprinos

Neste vídeo, "Inseminação Artificial - Ovinos e Caprinos", você verá passo a passo as técnicas mais modernas e práticas de se inseminar ovinos e caprinos. Desde a coleta do sêmen, até o processo final de inseminação. Isto é indispensável para quem quiser obter um rebanho padronizado e de altíssima qualidade. Aprenda como fazer inseminação artificial em caprinos e ovinos de forma clara e objetiva.

Conteúdo:
-A origem
-A fêmea
-O reprodutor
-Sincronização do estro e estação de monta
-O Sêmen
-Diluição do sêmen
-A inseminação artificial
-O congelamento do sêmen.

Consultoria: Med. Veterinário Dr. Cesar M. Nunez e Dr. Rodrigo de O. Baroni.

Saiba mais sobre caprinos aqui!

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Instalações para Equinos

Instalações para Equinos

O estabelecimento que lida com cavalos precisa dispor de instalações adequadas. Dependendo do número de animais,
além dos abrigos individuais – as cocheiras, é preciso instalações para manejo e estocagem.
Além disso, quando for possível, é importante ter alguns piquetes
Conteúdo:
Cocheiras:
Dimensões
Piso e Cama
Paredes
Cochos
Pavilhão
Outras Instalações:
Farmácia
Depósitos
Pátio de Manejo
Embarcadouro
Tronco de Contenção
Piquetes
Cercas e porteiras
Piquetes
Local para treinamento

Tenha mais informações sobre equinos aqui!

O Horsemanship


Horsemanship, uma nova palavra que significa " relacionamento entre seres humanos e cavalos " ( horse+man+relationship ).
Não é um método ou sistema, mas um jeito de conviver com os cavalos. É um conceito de trabalho que prega a convivência justa, honesta, com respeito, buscando sempre o aprimoramento deste relacionamento. Através do respeito à individualidade e às particularidade e às peculiaridades do animal é possível fazê-lo entender a situação e a superar seus limites.
Conteúdo:
A natureza dos cavalos
A vida na manada
O que é horsemanship
O início
O segundo passo
O exercício de relaxamento
O 1º exercício de chão
O trabalho na guia

Saiba mais sobre cavalos aqui!

terça-feira, 19 de julho de 2016



A vaquejada

Fomos até o agreste Pernambucano, mais precisamente na cidade de Saloá, uma pacata cidade, localizada uns 40 km da grande Garanhuns.
De Recife até Saloá, passamos primeiramente por Gravatá, uma cidade onde muitos haras prosperam, cavalgadas acontecem semanalmente e o cavalo reina! A Raça Mangalarga Marchador é umas das mais utilizadas para estes fins. Mas o quarto de milha também triunfa por aqui!
Continuando a viagem paramos em Bezerros, a casa do grande parque de vaquejada Rufina Borba! Aqui o chão treme no sentido da palavra, quando vaqueiros e seus Quarto de Milha saem em busca do boi valente.
Uma cidade interessante é Cachoeirinha, onde reina a industria da selaria. Selas, freios, esporas, enfim tudo que é do universo do cavalo é possível de se encontras nas infindáveis lojas da cidade.
Por fim passamos por Garanhuns e chegamos em Saloá, onde está localizado o centro de treinamento de vaquejada de Steve Bezerra! Bom agora é outra história, que contaremos outra hora!

Conheça a Coleção Vaquejada de Steve Bezerra aqui!

O cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais

Com relação aos cogumelos comestíveis existem muitas espécies diferentes. Cultivo de cogumelo champignon Os diferentes tipos de cogumelos existentes fazem parte de um grupo de seres vivos denominados fungos. Eles apresentam uma grande variedade de formas, cores e tamanhos. Há aqueles que são microscópicos e outros que chegam a pesar até 4,5kg. Os diferentes tipos de fungos possuem também características variadas. São classificados de acordo com as propriedades que possuem. Existem fungos tóxicos, alucinógenos, medicinais e comestíveis. Estima-se que mais de 2.000 espécies podem ser potencialmente comestíveis. Porém muito poucas são utilizadas na alimentação. dentre estas temos o Agaricus bisporus, conhecido popularmente por Cogumelo Champignon e o Cogumelo Shiitake (Lentinula edodes). Espécies de cogumelos: Auricularia erinaceus, Buna shimeji, Coprinus, Flammulina velutipes, Ganoderma lucidum, Hericum erinaceus, Maitake, Nameko, Pleurotus-salmão, Pleurotus citrinopileatus, Pleurotus cystidiosus, Pleurotus djamor, Pleurotus eryngii, Pleurotus euosmus, Pleurotus tuberregium, Stropharia rugosoannulata, Shirotomagiotake, Cardoncello, Shiitake, Shimeji-branco, Shimeji-preto, Tremella fuciformis, Volvariella volvacea.

aprenda mais sobre o cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais!

Como transportar cavalos

Transporte de cavalos em trailer - NA ESTRADA

Saiba como planejar a viagem do seu cavalo e transportá-lo com segurança e conforto



DISCO 1 - 01h 03min

- Calendário (cronograma)
- Documentos
- Alimentação
- Equipamentos
- Checar o veículo
- Exercícios para embarque

DISCO 2 - 01h 05min
- Na rampa de embarque
- Treinar para embarque
- Treinar para desembarque
- No destino
- Últimas recomendações
- Making of

PRODUÇÃO CONJUNTA: UNIVERSIDADE DO CAVALO

APICULTURA - COMO PRODUZIR MAIS E MELHOR



APICULTURA - COMO PRODUZIR MAIS E MELHOR

Veja com fazer o manejo correto das colméias no apiário para render a você, 50 ou mais quilos de mel por colméia/ano. O investimento é baixo e o retorno é garantido. Veja nesta fita todos os passos de como produzir mais e melhor.

A criação de abelhas é uma atividade rentável e prazerosa!
Estar junto às abelhas relaxa e ao mesmo tempo estimula. O zumbido em nossos ouvidos parece uma música composta pelos mais talentosos compositores!
Vale a pena iniciar uma criação de abelhas, comece ja!

Veja aqui como iniciar sua criação de abelhas!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Fomos ver como é um Treinamento de Vaquejada!


Fomos até a cidade de Saloá, estado de Pernambuco para saber como o treinador Steve Bezerra treina os cavalos para a vaquejada.

Seu centro de treinamento está situado dentro da Fazenda Brejo, um lindo local onde os hospedes do Hotel Fazenda podem desfrutar de excelentes acomodações, comida típica do Agreste e o contato com a natureza exuberante!

O centro de trenamento possui uma infraestrutura que propicia um excelente treinamento. Tem baias, redondel, selaria, pista de treinos e locais externos para relaxar os cavalos.

Steve faz trabalhos de : Doma Racional, Rédeas, treino específico para vaquejada e alem de correção de cavalos que já estão correndo.

Caso deseje ter mais informações sobre os trabalhos que foram feitos de vaquejada, clique aqui!

Como Criar Galinhas Caipiras

Para iniciar sua criação de galinha caipira , existem basicamente duas formas. Você poderá começar com uma galinha e seus pintinhos (cerca de dez a doze), observando que após o primeiro mês a fêmea começa a se distinguir do macho por desenvolver a cauda, o que só ocorrerá com ele a partir dos seis meses. Ou então, comece com um galo e de dez a quinze galinhas. Para este número de galinhas, dois galos juntos chegam a ser contraproducentes para a criação, além do risco de brigarem entre si.Quando a galinha caipira é criada em cativeiro sua carne é mais macia do que quando criada solta. Esta opção, no entanto, é mais custosa, pois a ave não pode conseguir seu próprio alimento, dependendo exclusivamente da ração e requerendo maiores cuidados, principalmente no que diz respeito às doenças. O galinheiro deve estar cercado por telas presas a estacas. Recubra-o com telhas de barro ou palha e instale os ninhos, puleiros, comedores e bebedouros (podem ser potes ou canaletas).No sistema de semiliberdade as aves ficam presas no galinheiro durante a noite e parte do dia, sendo soltas por volta das 15 horas, depois de receber as refeições da manhã e do meio dia.Uma vez soltas no cercado ou no terreiro, vão ciscar a terra à procura de insetos, sementes, pequenos frutos e até grãos de areia, que ajudam a triturar os alimentos em sua moela. Para tanto, é necessário soltá-las em um terreno distante dos jardins e hortas, pois instintivamente as galinhas ciscam toda terra solta que encontram, danificando os canteiros e destruindo as plantas. Pelo mesmo motivo você pode usá-las para limpar canteiros para plantio, soltando-as depois da colheita.
ALIMENTAÇÃO
Logicamente, quanto melhor alimentada, mais produtiva será a galinha. A caipira come praticamente tudo: resto de comida, milho, verdura etc. Contudo, a alimentação precisa ser balanceada, suprindo as necessidades específicas da ave. Durante a postura, por exemplo, ela precisa de aproximadamente 3% de cálcio, enquanto que fora dessa época sua necessidade é de apenas 0,8%.Se você tiver uma chácara ou sítio, pode reduzir os custos da ali¬mentação acrescentando cerca de 50 a 80% de milho à ração. O ideal é misturar uma certa quantidade de ração com milho triturado (farelo ou quirela) e alimento verde picado bem miúdo e levemente umedecido. Forneça esta alimentação duas vezes por dia, pela manhã e à tarde, calculando cerca de loog para cada ave. O farelo de milho não é suficiente para suprir as necessidades proteicas dos pintinhos (em torno de 24%), por isso, complemente-o com ração.
REPRODUÇÃO
Aos seis meses, tanto a fêmea como o macho atingem a sua vida adulta. Para o acasalamento não há muito o que fazer, exceto manter a proporção macho/fêmea.O ninho deve ser confeccionado com uma caixa de papelão medindo, aproximadamente 30cm de altura, 30cm de largura e 30cm de comprimento, de forma que se ajuste bem à galinha e retenha mais calor. A forração pode ser feita com capim seco ou com serragem. Para evitar que outras galinhas choquem no mesmo ninho cubra-o com ripas ou papelão, soltando a galinha de dois em dois dias para que possa comer e beber. Caso abandone o ninho, coloque outra para substituí-la.Um fator muito importante na reprodução das galinhas caipiras é a luz solar. No período de luz crescente (estações do ano em que os dias têm maior duração da luz solar), a ave tem sua glândula pituitária estimulada, produzindo uma maior quantidade de hormônios, como c SFH, por exemplo. Este hormônio estimula o desenvolvimento do ovário e de outras características sexuais secundárias, como a crista, a conformação do corpo e o desenvolvimento do oviduto (canal de saída dos ovos).Uma galinha pode pôr até vinte ovos seguidos, um por dia, para depois chocá-los durante um período de vinte e um dias. Caso seja separada dos ovos após colocar o último, a caipira estará botando normalmente após dois ou três dias.
Cuidados
Em grandes criações, é aconselhável que os ovos sejam colocados em incubadeiras, separando os pintinhos das galinhas e evitando que elas possam lhes transmitir alguma moléstia. É igualmente recomendável que se faça uma separação etária, ou seja, separar as mais velhas, que são mais propensas a certos tipos de doenças, das mais novas. As que estão produzindo e as que não estão também devem ser separadas, pois estas últimas atrapalham a produção e, além disso, possuem necessidades alimentícias específicas.Ao limpar o galinheiro, retire todo o esterco e substitua-o por serragem. Para evitar o desenvolvimento de micro-organismos causadores de doenças, prepare um desinfetante com cal e uma pequena quantidade de água e empregue-o em cima e embaixo da serragem.Quanto às doenças, as mais graves são evitadas mediante vacinação anual. Uma enfermidade freqüente é a "pigarra", que atinge as vias respiratórias. Ela forma uma capa branca na língua da ave, provocando a tosse. Pode ser removida com a mão, colocando-se em seguida um pouco de sal de cozinha na língua da ave, ou ser tratada com medicamentos.

aprenda mais sobre a criação de galinhas caipiras


Sabe como é o negocio de Equinos no Brasil?

O Brasil possui o maior rebanho de Equinos na América Latina e o terceiro mundial. Somados aos muares (mulas) e asininos (asnos) são 8 milhões de cabeças, movimentando R$ 7,3 bilhões, somente com a produção de cavalos.
O rebanho envolve mais de 30 segmentos, distribuídos entre insumos, criação e destinação final e compõe a base do chamado Complexo do Agronegócio Cavalo, responsável pela geração de 3,2 milhões de empregos diretos e indiretos.
Quando o assunto é exportação de cavalos vivos, os números são significativos: a expansão alcançou 524% entre 1997 e 2009, passando de US$ 702,8 mil para US$ 4,4 milhões. O Brasil é o oitavo maior exportador de carne equina. Bélgica, Holanda, Itália, Japão e França são os principais importadores da carne de cavalo brasileira, também consumida nos Estados Unidos.
A maior população brasileira de equinos encontra-se na região Sudeste, logo em seguida aparecem as regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Norte. Destaque para o Nordeste, que além de equinos, concentra maior registro de asininos e muares.
Usado unicamente como meio de transporte durante muitos anos, os equídeos têm conquistado outras áreas de atuação, com forte tendência para lazer, esportes e até terapia. Uma de suas principais funções, contudo, continua sendo o trabalho diário nas atividades agropecuárias, onde aproximadamente cinco milhões de animais são utilizados, principalmente, para o manejo do gado bovino.

Aprenda mais sobre Equinos!

Já experimentou quiabo?

Você já comeu quiabo?
Caso sua resposta seja NÃO! Digo que está perdendo um prato muito bom! recomendo experimentar!

O quiabo, cujo nome científico é Hibiscus esculentus. Planta herbácea, lenhosa, de folhas alternas, denteadas, e flores amarelas, solitárias; os frutos são compridos, comestíveis enquanto verdes. Os frutos e as folhas são emolientes. originária da África, é cultivada em hortas de todo o Brasil. (Família das malváceas.)

Agora experimenta a dupla quiabo com jiló! você vai adorar!

Como fazer queijos

A técnica de fabricação caseira de queijos sempre foi um segredo guardado a sete chaves. Um privilégio das melhores granjas de leite e de algumas poucas donas-de-casa do meio rural. Graças a esta produção inédita em vídeo,"Como Fazer Queijos", agora você pode aprender, em sua própria casa, como fazer os mais deliciosos Queijos, Iogurtes, Ricotas, Requeijão e Coalhadas.

Conteúdo:
-Nozinho
-Provolone
-Mozarela
-Cacciocavallo
-Minas Frescal
-Minas Prensado
-Requeijões Fundido e Cremoso
-Ricotas
-Coagulação do leite
-Preparo da salmoura
-Preparo das massas.

Aprenda a fazer queijos

O cão da raça Rottweiler

O ROTTWEILER

O número de admiradores e criadores de rottweilers tem crescido vertiginosamente em todo o mundo. E não por acos. O rottweiler reúne qualidades como fidelidade obstinada, vigor físico, inteligência e temperamento forte, qualidades essenciais para um bom cão de guarda.

Conteúdo: As principais características Os cuidados respostas ás principais dúvidas O padrão e a história da raça exercícios de ataque e defesa.

Aprenda a criar o cão da raça rottweiler

A criação de avestruz

AVESTRUZ - SISTEMA COMPLETO DE CRIAÇÃO

A criação de avestruz vem crescendo de maneira bastante significativa em várias partes do mundo. O interesse se dá principalmente pela valorização de seus produtos. O investidor deve ter em mente que um dos principais objetivos de uma criação de avestruzes será, mais cedo ou mais tarde, a produção de carne. O criador não deve direcionar sua produção única e exclusivamente para omercado de reprodutores. Além da receita obtida com a venda de reprodutores, o criador deverá prever a necessidade de um mercado para a venda dos "acessórios" (plumagem, pele...) gerados pelo avestruz.

Conteúdo: 1. A carne e o mercado. 2. Comparativo: Avestruz x Boi. 3. O negócio avestruz. 4. A criação. 5. Casais. 6. Raças. 7. A Incubação dos ovos. 8. O berçario. 9. O crescimento. 10. A alimentação.

Aprenda a criar avestruz

sexta-feira, 15 de julho de 2016

As Boas Práticas Agropecuárias

Boas Práticas Agropecuárias

Conceito

Boas Práticas Agropecuárias (BPAs) é parte fundamental das Boas Práticas nas Cadeias Agroalimentares que significa a utilização e a implementação de procedimentos adequados em todas as etapas de obtenção, produção, processamento, armazenamento, transporte e distribuição de matérias-primas, insumos e produtos agroalimentares, devendo ser mantidos desde os elos primários de produção à campo até os consumidores, fornecendo garantias auditáveis de qualidade e de segurança, assim como a agregação de valores aos sistemas de produção de alimentos e animais.

Ou seja, Boas Práticas Agropecuárias (BPAs) é o conjunto de princípios, conceitos, práticas, tecnologias, métodos e recomendações técnicas apropriadas aos sistemas de produção de insumos, de animais e de alimentos aplicados e implementados em nível de campo a fim de fomentar e agregar valor às atividades agropecuárias e de promover a saúde e o bem-estar humano e animal.


Os Objetivos

As práticas adequadas de produção, por mais simples que sejam, visam promover e assegurar que os produtos agropecuários e os seus derivados sejam de qualidade, seguros e adequados para o uso a que se destinam.

Os produtores rurais, por fazerem parte da base da cadeia de produção de alimentos para consumo humano e animal, assim como as agroindústrias, devem estar capacitados e estar conscientes do seu papel e responsabilidade quanto à segurança e qualidade dos seus produtos.

Neste sentido, a promoção e implementação das Boas Práticas Agropecuárias (BPAs) proporcionam meios para que os produtores rurais atinjam e cumpram com as mais altas expectativas da indústria de alimentos e dos consumidores, agregando valor aos seus produtos, maximizando a renda e viabilizando a permanência do produtor e das empresas em suas atividades.

Portanto, a implementação das Boas Práticas Agropecuárias (BPAs) também é uma forma simples, mas eficaz e eficiente, de gerenciar e minimizar riscos associados à produção rural e ao agronegócio, proporcionando que os produtores primários da cadeia de abastecimento e as empresas envolvidas permanecem viáveis e sustentáveis sob as perspectivas econômica, social e ambiental, tanto no curto, quanto no médio e no longo prazo.


O Foco das Ações

Para atingir os objetivos, os produtores rurais, os profissionais/técnicos envolvidos e as empresas agroalimentares devem aplicar os princípios e procedimentos das Boas Práticas Agropecuárias (BPAs), prioritariamente, nas seguintes principais áreas:

.Qualidade da água (na propriedade rural e demais fases de distribuição e processamento);

.Nutrição animal e uso adequado das pastagens;

.Adequado manejo geral dos animais;

.Sanidade e bem-estar animal;

.Melhoramento genético animal e adequação zootécnica do rebanho ao ambiente e expectativas de produção;

.Higiene de obtenção e de processamento em nível de campo;

.Identificação e segregação de produtos e de animais sob tratamento veterinário ou pesticidas;

.Registro e acompanhamento de dados e de procedimentos;

.Rastreabilidade dos animais e dos produtos;

.Armazenamento e transporte adequados de matérias-primas, insumos e alimentos;

.Uso sustentável do meio ambiente;

.Gestão socioeconômica.


Características

.Trabalho em cadeia (comprometimento dos elos);

.Segurança e Qualidade dos Procedimentos e Produtos (objetivos);

.Mudança de Paradigmas (registrar, monitorar, corrigir);

.Reconhecimento do trabalho e Qualificação de Fornecedores;

.Pagamento diferenciado por qualidade e segurança dos produtos;

.Manter a implementação das BPA no longo  prazo (acompanhamento, verificações e auditorias);

.Possibilitar e viabilizar certificações de processos, propriedades rurais, empresas e produtos.


Os Desafios

.Adequada análise dos riscos (avaliação, gestão e comunicação dos riscos) nas cadeias agropecuárias em nível local, regional e nacional;

.Inequívoco diagnóstico dos problemas e de toda amplitude de riscos e de consequências;

.Desenvolvimento de procedimentos e de ferramentas de produção adequados e proporcionais aos problemas e ao risco avaliado;

.Difusão, implementação e massificação dos procedimentos e das ferramentas desenvolvidas;

.Responsabilidade técnica definida em cada propriedade rural e sistema de produção agroalimentar;

.Aumento sustentável da produtividade;

.Aumento da renda do produtor rural e da lucratividade da agroindústria;

.Mudanças de hábitos de produção e de consumo, com foco em qualidade e segurança dos produtos;

.Agregação de valor aos produtos e às marcas.

Aprenda mais sobre Agropecuária aqui!

Produzir Silagem

Silo Bolsa - A Silagem Moderna

 Produza "silagem limpa" e de qualidade. As vantagens são muitas sobre o silo trincheira, como o menor uso de mão-de-obra e trator. A silagem já é compactada dentro da bolsa pela própria máquina. Veja como o Sítio do Cedro faz. Tudo mostrado passo-a-passo. Da colheita do milho ao enchimento da bolsa.

Conteúdo:
-Introdução
-Ensilagem
-Tipos de silos
-Comparativo: silo trincheira x silo bolsa no Sitio do Cedro (Minas Gerais)
-Comparativo: análise bromatológica silo bolsa x silo trincheira
-O ponto ideal de colheita do milho

Aprenda a fazer silagem

Aprenda a Fazer Conservas Caseiras

Como Produzir Conservas Caseiras

"Como Produzir Conservas Caseiras", é um video-curso dirigido a quem deseja produzir conservas caseiras para consumo próprio ou como um negócio. As receitas são mostradas passo a-passo, por especialista no assunto.

Conteúdo:
-Conserva mista (picles)
-Conserva de pepino
-Conserva de pimenta
-Vinagre aromatizado
-Conserva - chutney de abobrinha
-Pasta de beringela
-Antipasto de beringela ao vinho.

Aprenda como fazer conservas caseiras !

Plantio Direto

PLANTIO DIRETO NA PALHA

Este vídeo-curso "Como Fazer Plantio Direto na Palha" vai esclarecer, a quem pensa que o sistema de plantio direto é caro e dispendioso, que ele é altamente lucrativo e prático. Você verá as inúmeras vantagens do sistema de Plantio na Palha, bem como a opinião de quem já experimentou esta técnica e aprovou. Sem sair de casa, você terá toda a orientação técnica da fundação ABC (Cooperativas de Arapoti, Batavo e Castrolandia - do Paraná).

Conteúdo:
-Agricultura convencional e suas consequências
-Preparação do solo para iniciar o plantio direto
-Rotação de culturas
-Cobertura do solo
-Adubação
-Mecanização, uso e tipo de máquinas
-Controle de ervas daninhas
-Assistência técnica
-Aspectos econômicos.

Aprenda como fazer o plantio direto na agricultura

Manejo de Colméia de Abelhas

Guia Prático de Apicultura - Manejo da Colméia

Depois de instalar seu apiário, você precisa saber como fazer o manejo da colméia de Apis mellifera. Pois existem segredos sem os quais, certamente a produção de mel não seria a desejada,e estes segredos estão disponíveis no conteúdo deste vídeo-curso "Guia Prático de Apicultura - Manejo da Colméia". Como resultado final do manejo você aprenderá como colher o mel, o própolis, o pólen e a cera. Tudo mostrado na prática, sem mistérios, como lidar com a colméia!

Conteúdo:
-A abelha
-Enxameação
-Multiplicação artificial de famílias
-União de famílias fracas
-Revisão de colméias
-Pilhagem
-Alimentação artificial
-A importância do manejo do ninho
-A polinização
-Colheita do mel
-Colheita de própolis
-Colheita de pólen
-Substituição de rainhas.

aprenda como Fazer o manejo de colmeias de abelhas aqui!

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Como Escolher um Cavalo



Cavalos - Escolha a Raça Ideal para sua Propriedade

Aprenda a escolher algumas das raças de cavalos e muares.
Veja qual a melhor raça de cavalo para o que você deseja. Um vídeo para quem está iniciando a criação de cavalos, ou é um admirador destes pomposos animais. Todas as raças de cavalos são donas de uma característica particular.
Isso não diz respeito apenas ao porte e tamanho do animal, mas também à sua utilização, finalidade e aplicação.
Conheça neste vídeo as principais raças de cavalos e suas características. Saiba como escolher o melhor cavalo para a propriedade. Veja também os cuidados necessários e como evitar vícios no animal.

Conteúdo:
As raças:
-Appaloosa
-Mangalarga Marchador
-Quarto de Milha
-Puro Sangue Inglês
-Campolina
-Cavalo Brasileiro de Hipismo
-Cavalo Árabe
-Cavalo Bretão
-Cavalo Crioulo
-Jumento e Pêga
-Pônei

Aprenda a escolher a raca de cavalo para sua propriedade!

Como Alimentar Cavalos



Como Alimentar Cavalos

Aprenda como se faz a alimentação dos cavalos.
Este video-curso mostra como alimentar cavalos com todas as exigências nutricionais de cada fase, adultos, éguas em gestaçao e éguas com crias. Fornece uma lista de 200 alimentos entre capins, tortas, farelos, graos, raízes, tubérculos e outros componentes utilizados na alimentaçao de equinos. Em seguida, ensina a calcular a alimentação de cavalos, por categoria de animais, incluindo fórmulas de concentrados, tanto para a manutençao como para atividades físicas.
Conteúdo:

- Pastagens para Cavalos
- Tortas e Farelos
- Alimentos Alternativos
- Mineralizaçao de Equinos
- Exercício nº 1 - Cálculo da Alimentaçao para Cavalos
- Exercicío nº 2 - Cálculo da Alimentaçao para Éguas com Crias.

Aprenda Como alimentar Cavalos aqui!

Treinamento de Rédeas Avançado

Aprenda com este curso de rédeas avançado como fazer o trabalho de rédeas com um potro novo e como aprimorar um cavalo já treinado.
Controlar o cavalo é dominar seus movimentos!
E não é só guiá-lo, é interagir com ele.
Baseado neste princípio é que é treinado o cavalo para rédeas.
Neste segundo vídeo de rédeas orientado pelo treinador Nélson Rodrigues você vai ver um trabalho totalmente direcionado para conjuntos que já tenham a base de rédeas.
As cobranças, as exigências são muito maiores.
Conteúdo:
Spin
Círculo
Esbarro
Recuo e RollBack
Troca de Mão
Consultor: Nelson Rodrigues

aprenda mais sobre Rédeas aqui!

O Rabanete

RABANETE . Rephanus sativus. Planta herbácea, anual, de folhas irregularmente denteadas, flores amarelas e raiz carnosa, comestível, arredondada ou comprida, branca, vermelha ou preta, dependendo da variedade hortícola. As folhas e os talos são utilizados pela medicina popular como estimulante das funçóes gastrointestinais. Originária da Asia, é cultivada no Brasil. (Família das crucíferas.)
RÁBANO (Do gr. rhaphanos, pelo lat. rephanus, Brassica campestris. Denominação comum a várias plantas da família das crucíferas, originárias da Europa, utilizadas como forragem para animais domésticos.

aprenda mais sobre Hortaliças aqui

O Milho

MILHO  (Do latim milium.) 1. Zea mays. Planta de origem sul-americana; é cereal que se opõe aos outros, ditos "com palha" ou "de pequenos grãos", pela grande dimensão, caule geralmente úmido e bastante forte, grossa espiga fêmea com grãos comestíveis, ricos em amido, dispostos em fileiras muito próximas. (Sin. MILHEIRO'.) [Família das gramíneas.]  2. O grão de que se faz fubá.
O milho apresenta flores femininas na base e flores masculinas no topo do caule; é cortado ainda verde, para ensilagem ou consumo imediato pelo gado, ou colhido em espigas. Os gràos de milhos córneos e dentados destinam-se à alimentação animal; as farinhas de milho servem para a fabricação de pães, bolos, pastas ou papas, e também para a alimentação do gado. O milho açucarado, como tal ou reduzido a flocos, é utilizado em alimentação humana.
No Brasil são utilizadas as variedades sintéticas e os híbridos. As sintéticas são resultado de diversas gerações selecionadas e por isso apresentam uma maior uniformidade das plantas. No entanto, a seleção das sementes deve ser feita pelo próprio produtor a cada colheita. No caso dos híbridos, as sementes são mais caras por serem resultantes de numerosas experiências, mas são mais produtivos que as variedades sintéticas. As principais pragas do milho são a lagarta-rosca, a lagarta-elasmo, a lagarta-do-cartucho, o percevejo-castanha, a lagarta das espigas, entre outras. Entre as doenças mais importantes destacam-se a podridão dos colmas, a ferrugem, o míldio, a podridão das espigas e o mosaico.

aprenda mais sobre a Produção de  Milho aqui!






A fruta melancia

MELANCIA - (Do portugues antigo balancia, com infl. de melão.)  Citrullus vulgaris. Planta anual, de caule rasteiro, ramificado, folhas triangulares e flores amarelas, solitárias; o fruto é verde amarelado, liso ou listrado, dependendo da variedade, de polpa avarnelhada, aquosa e doce; o suco das sementes é considerado diurético e vermífugo leve. Planta originária da África, cultivada e subespontãnea em várias regiões do Brasil, possui diversas variedades cultivadas comercialmen te, geralmente em regiões de terra seca e arenosa, (Sin. MELANCIEIRA) Segundo o IBGE, em 1991 a produção brasileira atingiu 144 mil t de frutos e os Estados que mais produziram foram: Bahia (31 mil t), Rio Grande do Sul (30,8 mil t) e São Paulo (17 mil t). (Farnília das cucurbitáceas.) - 2. O fruto dessa planta.

Aprenda como produzir Frutas aqui!

quarta-feira, 13 de julho de 2016

A raiz das plantas

RAIZ - (Do lato radix.) 1. Órgão dos vegetais superiores, geralmente subterrãneo, que os fixa no solo, absorvendo a água e os sais minerais indispensáveis à sua existência.  Raiz adventícia, raiz que nasce lateralmente sobre um rizoma ou caule. Raiz axial, raiz principal, que desce verticalmente no solo. Raiz coraliforme. a que é delgada, com nódulos irregulares, provenientes da ação de um fungo. Raiz de escora, raízes adventícias, formadas em feixes, que nascem do caule ou dos ramos, penetrando no solo para reforçar a sustentação da planta. Raiz fascicu1ada, raiz que se amplia num leque de raízes iguais. Raiz pivotante: raiz axial com ramificações pouco importantes. Raiz principal, aquela que provém do desenvolvimento da radícula, geralmente com crescimento orientado para baixo. Raiz secundária, broto produzido pela raiz principal. Raiz tuberosa. a que armazena substãncias nutritivas, tornando-se volumosa, (Sin. RAIZ SUCULENTA.)
Numa raiz, da extremidade à base, encontramos sucessivamente as seguintes zonas:
- extremidade exploradora, que contorna os pedregulhos do solo, procura a umidade. evita os contatos tóxicos, etc., (é revestida por uma coifa que a protege do desgaste):
- zona de crescimento. onde as células se multiplicam e se alongam;
- zona dos pêlos absorventes. zona de pêlos numerosos, unicelulares, que assegu¬ram a entrada da água e dos sais na planta:
- zona condutora, zona que contém os vasos nos quais circula a seiva ascendente (só esta zona pode ser ramif'icada).
Em corte transversal, a zona condutora apresenta, sob a epiderme e a casca, uma dupla camada (perioiclo e endoderma), cuja função é filtrar seletivamente os produtos da absorção que passarão à seiva, e em seguida alternar feixes lenbosos. para a ascensão da seiva bruta, e feixes 1iberianos, para a alimentação orgãnica da própria raiz.
O sistema radicular pode ser axial. fasciculado rastejante ou superiicial (quando as raízes estão um pouco abaixo da superfície do solo),
Além de sua função nutritiva, as raízes têm a função óbvia de fixar o vegetal. Em muitos casos, têm também uma função de órgãos de reserva para o inverno (raízes suculentas: rabanete, cenoura, beterraba)
A passagem do sistema radicular ao sistema aéreo faz-se por um ponto único, o colo, ao nível do solo.

Saiba mais sobre Botânica aqui!

O Quiabo

QUIABEIRO - Hibiscus esculentus. Planta herbácea, lenhosa, de folhas alternas, denteadas, e flores amarelas, solitárias; os frutos são compridos, comestíveis enquanto verdes. Os frutos e as folhas são emolientes. o.riginária da África, é cultivada em hortas de todo o Brasil. (Família das malváceas.)
QUIABENTO Pereskia zehntneri. Arbusto ereto que atinge 3m de altura, de tronco armado de espinhos, ramificado, pequenas folhas carnosas e flores vermelhas. Ocorre no sertão da Bahia. (Família das cactáceas.)
QUIABO s.m. (Do quimb. quingombo.) Fruto verde, piloso, de forma capsular cônica . produzido pelo quiabeiro. (Sin. GUINGOMBÔ, QUIMBOMBÔ, GoMBÔ, QUIBOMBÔ, QUIGOMBÔ.)
QUIABO-AZEDo. S.m. Sino de CARURU-AZEDO. QUIABO-BRANCO s.m. Malachra fasciata. Planta herbácea, de folhas pecioladas e grandes flores brancas, dispostas em capítulos. É comum em toda a América tropical.
QUIABO-CHEIROSO s.m. Hibiscus abelmoschus. Subarbusto de folhas pecioladas e grandes flores amarelas, cujas sementes, cordiais e estomáticas, são sucedâneas do almíscar, na fabricação de perfumes. Originário da Índia. é cultivado no Brasil como ornamental. (Família das malváceas.)

saiba mais sobre Hortas aqui!

O Marmeleiro


Marmeleiro - Denominação comum a duas plantas da família das rosáceas. A Cydonia oblonga (marmeleiro-da-europa), é uma arvoreta de frutos com sabor ácido e levemente adstringente, usados para geléias e doces; é melífera. Originária da Pérsia, é cultivada no mundo inteiro, desde a Antiguidade. Cydonia jeponica (marmeleiro-do-japão), é um arbusto de frutos usados no preparo da marmelada. É cultivado também como ornamental. (Sin. MARMELEIRO-DO-JAPÃO.)
MARMELEIRO-DO-CAMPO - Denominação comum a duas plantas da família das euforbiáceas. A Maprounee brasiliensis é um arbusto de folhas coriáceas, cuja raiz tem propriedades estomáticas, mas é de ação venenosa em altas doses. Ocorre na Bahia e Minas Gerais. M. guyanensis é uma árvore glabra, típica dos campos da América Latina.
MARMELINHO-DO-CAMPO S.m. Bot. Sino de MARMELADA-DE-CACHORRO.
MARMELO Fruto do marmeleiro, amarelo, levemente ácido e adstringente, aproveitado para se fazer marmelada ou compota.

Saiba mais sobre fruticultura aqui!

terça-feira, 12 de julho de 2016

A Integração Lavoura Pecuária


A Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) promove a recuperação de áreas de pastagens degradadas agregando, na mesma propriedade, diferentes sistemas produtivos, como os de grãos, fibras, carne, leite e agroenergia. Busca melhorar a fertilidade do solo com a aplicação de técnicas e sistemas de plantio adequados para a otimização e a intensificação de seu uso.
Dessa forma, permite a diversificação das atividades econômicas na propriedade e minimiza os riscos de frustração de renda por eventos climáticos ou por condições de mercado.

A integração também reduz o uso de agroquímicos, a abertura de novas áreas para fins agropecuários e o passivo ambiental. Possibilita, ao mesmo tempo, o aumento da biodiversidade e do controle dos processos erosivos com a manutenção da cobertura do solo.  Aliada a práticas conservacionistas, como o plantio direto, se constitui em uma alternativa econômica e sustentável para elevar a produtividade de áreas degradadas.

O Ministério da Agricultura firma convênios e acordos de cooperação técnica com órgãos, entidades e instituições públicas e privadas como estratégia para a capacitação de pessoal e como forma de incentivar a prática da ILPF entre os produtores rurais. O programa é desenvolvido pela Coordenação de Manejo Sustentável dos Sistemas Produtivos (CMSP), subordinada ao Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade (Depros), da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC).

Aprenda mais sobre Pastagens aqui!

Exercícios para Melhorar o Desempenho do Cavalo



Exercícios para Melhorar o Desempenho do Cavalo

O exercício básico de flexionamento do cavalo, é um dos itens mais importantes da equitação. O cavalo flexionado fica suscetível às ajudas, isto é, fica disponível ao cavaleiro para executar todos os comandos, como também fica "limpo", sem reações indesejáveis aos movimentos.
O cavalo flexionado está praticamente "pronto", está "domado", está preparado para o esporte e lazer.
O cavalo que passa pelos exercícios básicos da ginástica de flexões laterais e frontais chega a ter um rendimento de até 20% a mais no seu desempenho!

Este vídeo é direcionado para cavaleiros de todas as modalidades equestres que desejam aperfeiçoar sua equitação. É também ideal para o cavaleiro amador que busca proporcionar a seu cavalo o melhor trabalho, mesmo que apenas para fins de lazer. O cavalo bem flexionado trará uma significativa melhoria no trabalho do dia-o-dia, culminando em excelentes performances em pista.

Conteúdo:

1 -Baixada de pescoço
2- Cedência à perna
3- Cedência à perna no círculo
4 -Cara ao muro
5 -Espádua a dentro
6 -Apoiar
7 -Recuo
8 -Simulação de Exercícios

Consultoria:
Ito Ricciluca
Treinador

Haras Mineral

Aprenda as técnicas para melhorar o desempenho do cavalo aqui!

segunda-feira, 11 de julho de 2016

A criação de cavalos no Brasil

A indústria do cavalo cresceu quase 12% ao ano nos últimos 10 anos. Em 2006 eram R$7,5 bilhões de faturamento bruto anual e em 2015 atingimos R$16 bilhões de reais.

Neste artigo estaremos mostrando aos nossos leitores como essa indústria está organizada e quais são os elos da cadeia que mais faturam. Queremos que você entenda mais sobre a indústria do cavalo, tão apaixonante, e passe a lucrar muito dinheiro com o cavalo!

TAMANHO DA TROPA BRASILEIRA

Existem duas estatísticas que são levadas em consideração com relação a estatísticas de equinos no Mundo e no Brasil. Os números internacionais, que também englobam o Brasil, são de responsabilidade da FAO – Federação Internacional da Agricultura. Segundo as estatísticas da FAO (2011) o rebanho mundial de equinos seria de aproximadamente 59.043.839 cabeças, conforme demonstrativo abaixo:

Estados Unidos       9.500.000  cabeças

China                        6.823.360  cabeças

México                     6.350.000  cabeças

Brasil                         5.496.817  cabeças

Argentina                 3.680.000  cabeças

OBS: Pelos números da FAO, os 5 maiores rebanhos equinos do mundo representam 54% de toda a tropa mundial.

 - Efetivo de equinos em 31.12 e participações relativa e acumulada no efetivo total, segundo as Unidades da Federação e os 20 municípios com os maiores efetivos, em ordem decrescente - 2010

Minas Gerais 802 049
Bahia 586 643
Rio Grande do Sul 470 199
Goiás 428 367
São Paulo 379 379
Mato Grosso 344 918
Mato Grosso do Sul 344 589
Paraná 341 481
Pará 289 261
Tocantins 171 545
Maranhão 170 347
Rondônia 161 050
Pernambuco 139 811
Ceará 138 346
Santa Catarina 114 372
Piauí 112 423 2,0 90,6
Rio de Janeiro 106 248
Sergipe 72 830
Espírito Santo 71 411
Acre 67 952 1
Alagoas 56 310
Paraíba 48 073
Rio Grande do Norte 43 112
Roraima 28 170
Amazonas 12 803
Distrito Federal 7 270
Amapá 5 294


- 20 municípios com os maiores efetivos:

Corumbá - MS 29 890
Santana do Livramento - RS 23 078
Dom Pedrito - RS 18 430 0
Feira de Santana - BA 17 695
Uruguaiana - RS 16 351
São Félix do Xingu - PA 16 207
Alegrete - RS 15 189
Bagé - RS 14 059
Cáceres - MT 12 728
São Gabriel - RS 12 324
Rosário do Sul - RS 12 162
Três Lagoas - MS 11 290
Rio Branco - AC 10 976
Novo Repartimento - PA 10 959
Campo Grande - MS 10 552
Ribas do Rio Pardo - MS 10 540
Paranaíba - MS 10 493
Aquidauana - MS 10 175
São Lourenço do Sul - RS 9 981
Prudentópolis - PR 9 970

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Pesquisa da Pecuária Municipal 2010.


Aprenda mais sobre cavalos
aqui!

Equinos no Brasil

O Brasil possui o maior rebanho de Equinos na América Latina e o terceiro mundial. Somados aos muares (mulas) e asininos (asnos) são 8 milhões de cabeças, movimentando R$ 7,3 bilhões, somente com a produção de cavalos.
O rebanho envolve mais de 30 segmentos, distribuídos entre insumos, criação e destinação final e compõe a base do chamado Complexo do Agronegócio Cavalo, responsável pela geração de 3,2 milhões de empregos diretos e indiretos.
Quando o assunto é exportação de cavalos vivos, os números são significativos: a expansão alcançou 524% entre 1997 e 2009, passando de US$ 702,8 mil para US$ 4,4 milhões. O Brasil é o oitavo maior exportador de carne equina. Bélgica, Holanda, Itália, Japão e França são os principais importadores da carne de cavalo brasileira, também consumida nos Estados Unidos.
A maior população brasileira de equinos encontra-se na região Sudeste, logo em seguida aparecem as regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Norte. Destaque para o Nordeste, que além de equinos, concentra maior registro de asininos e muares.
Usado unicamente como meio de transporte durante muitos anos, os equídeos têm conquistado outras áreas de atuação, com forte tendência para lazer, esportes e até terapia. Uma de suas principais funções, contudo, continua sendo o trabalho diário nas atividades agropecuárias, onde aproximadamente cinco milhões de animais são utilizados, principalmente, para o manejo do gado bovino.

Saiba mais sobre equinos aqui!

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Criação de Caprinos e Ovinos


A caprinocultura e a ovinocultura têm se destacado no agronegócio brasileiro. A criação de caprinos, com rebanho estimado em 14 milhões de animais, distribuído em 436 mil estabelecimentos agropecuários, colocou o Brasil em 18º lugar do ranking mundial de exportações.
Grande parte do rebanho caprino encontra-se no Nordeste, com ênfase para Bahia, Pernambuco, Piauí e Ceará. A ovinocultura tem representatividade na região Nordeste e no estado do Rio Grande do Sul.
Carne, pele e lã estão entre os principais produtos. A produção de leite de cabra é de cerca de 21 milhões de litros e envolve, em grande parte, empresas de pequeno porte.

Ovinocultura
A ovinocultura tem maior representatividade nos estados da Bahia, Ceará, Piauí e Pernambuco, Rio grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul.
A produção anual alcança 11 milhões de toneladas de lã, principalmente no Rio Grande do Sul, com cadeia produtiva  formada por 35 mil estabelecimentos agropecuários.
A ovinocultura leiteira no País apresenta  potencial para a produção de queijos finos, muito valorizados no mercado.

Aprenda mais sobre Caprinos e Ovinos aqui!

Algumas raças de cavalos


Algumas Raças de Cavalos são:

Puros-sangues - Originários do planalto central da Ásia, provavelmente da Mesopotâmia, região entre os rios Tigre e Eufrates. Os animais do mais alto nível são criados na Polônia, Estados Unidos, União Soviética e Egito.
Barbo - Ou africano, berbérico, barbaresco, mongol ou mongólico. Originário da Ásia Central .
Alter - Tem origem na raça barbo e se desenvolveu em Portugal. É animal de sela, com influência de raças nacionais em sua formação.
Anglo-árabe - Um pouco maior que o árabe (média de altura de 1,52 a 1,60 metro), mas de conformação parecida e as mesmas qualidades.
Andaluz - Também chamado puro-sangue-da-idade-média, esse cavalo espanhol foi bastante difundido pela Europa. Tem aparência uniforme, de linhas bem conformadas e harmônicas.
Lusitano - O cavalo de Portugal é semelhante à raça andaluz, chegou ao Brasil na década de 70 e impressionou pela silhueta, aprumos perfeitos e temperamento dócil. Utilizado no hipismo, realiza andamentos como passo, marcha trotada, trote e galope

Aprenda mais sobre Cavalos aqui!

terça-feira, 5 de julho de 2016

Boi
A espécie zebuína (Bos  indicus) é originária da Índia e do Oriente Próximo. As raças dessa espécie adaptam-se relativamente bem às condições climáticas do Brasil, com boa resistência a doenças e carrapatos. A principal característica da espécie é a pre-sença do cupim no dorso do animal. As principais raças zebuínas no Brasil, para corte, são gir, guzerá, indubrasil, nelore e tabapuã.
Guzerá - É um gado originário da região do Guzarat, Índia, onde é conhecido como kankej Considerada uma raça mista. ou seja, com aptidões para leite e corte, ocupa hoje o quarto lugar no rebanho nacional de raças zebuínas.
As principais características são o chifre em forma de lira e a pelagem, que pode va-riar do cinza-claro ao cinza-escuro. Consi-derados animais de porte grande, os machos adultos (dezoito meses) pesam em média 250 quilos, podendo, em condições adequa-das, atingir 360 quilos. As fêmeas pesam em média 230 quilos. O bezerro ao nascer pesa em média 28 quilos. Bastante adaptados à região tropical, os guzerás apresentam baixíssima mortalidade e suportam longas caminhadas em busca de água e de alimento. Por meio de seleção genética, foram ob-tidos animais mansos, o que facilita o trato e a ordenha. No Brasil, rebanhos dessa raça são encontrados em maior quantidade nos estados do Nordeste.
Indubrasil - Raça brasileira, resultado do cruzamento principalmente das raças gir e guzerá. A seleção começou no início do século na região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais. De início, eram chamados indubera-bas, mas, com a criação do Serviço de Re-gistro Genealógico das Raças Zebuínas, em 1936, passou a chamar-se indubrasil.
Apresentam como principais característi-cas a pelagem uniforme, de cores branco, cinza, amarelo ou vermelho. São animais de porte grande. A idade média do primeiro parto é 46,5 meses; e os bezerros pesam ao nascer 30 quilos em média. Rebanhos dessa raça são encontrados sobretudo no Nordes¬te, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
Nelore - Originário da região de Ongole, Índia. Atualmente é uma das raças mais di¬fundidas no Brasil, representando 76 do rebanho nacional de raças zebuínas. Os adultos são grandes e pesados - o peso médio de um macho é de 510 quilos (aos 24 meses) e o de uma fêmea é de 400 quilos (aos 24 meses). A idade média do primeiro parto é trinta meses; e os bezerros pesam em média 30 quilos ao nascer. Sua pelagem é branca ou branco-acinzentada.
Com o aumento do rebanho nacional, surgiram variedades que foram aprimoradas por alguns criadores e que hoje estão largamente difundidas por todo o país, como o nelore mocho e o malhado de preto.
Tabapuã - A raça teve origem na fazenda Água Milagrosa, do criador Alberto Ortenblad, em Tabapuã, São Paulo, sendo reconhecida pelo Ministério da Agricultura em 1969. Resultado do cruzamento de animais guzerá, nelore e gir, foi o primeiro gado ze buíno mocho a surgir no Brasil. A pelagem varia do branco ao cinza. Adultos. os machos pesam em média 450 quilos aos 24 meses. A raça. relativamente jovem. vem obtendo cada vez mais espaço nas criações brasileiras.
A espécie taurina (Bos taurus} é originária da Europa. Esses animais, em geral de porte grande, se desenvolvem melhor em clima ameno, como nas regiões Sul e Sudeste. e são largamente usados em criações de animais puros e para cruzamentos com bois das raças zebuínas. Em comparação com os zebuínos, são exigentes em alimentação e mais suscetíveis a doenças e carrapatos, mas com um ganho de peso precoce e bastante elevado. As principais raças européias criadas no Brasil para corte são a aberdeen angus, blonde d'aquitaine, charolês. chianina, devon, hereford, limousine, marchigiana,  e simental.
Aberdeen angus - Originária da Escócia, caracteriza-se por ser uma raça de animais mochos, de pelagem negra, embora possam existir animais de cor vermelha. Quando adultos, os machos pesam em média 850 quilos e as fêmeas, 650. Os bezerros machos nascem com 32 quilos e as fêmeas com 27, em média. Devido ao alto rendimento da carcaça e à boa qualidade da carne. são muito utilizados em cruzamentos com zebuínos. Um exemplo do sucesso desses cruzamentos é a raça brangus. Por sua origem e cor de pelagem. têm se desenvolvido melhor em regiões de clima ameno, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.
Blonde d'aquitaine – É uma raça francesa originária de três tipos de bois: garonnais. quercy e blond do Pireneus. A pelagem varia do amarelo-claro ao amarelo-escuro. Caracteriza-se por ser uma raça de grande porte, bom desenvolvimento muscular e grande potencial de ganho de peso. Machos entre 6 e 12 meses. quando criados em confinamento, podem ter um ganho diário de IA quilo. Os touros pesam em média 1 150 quilos e as vacas adultas. 785. No Brasil. a raça é encontrada na região Sul, onde é usada em cruzamentos industriais com zebuínos ou em criação de animais puros.
Charolês - Originário da região central da França, entre os rios Saone e Loire. A seleção vem sendo feita desde o século XIX para a produção de animais de engorda rápida, São grandes e pesados. de pelagem cor branco-creme, pele rósea. pêlos de comprimento variável e. às vezes, crespos. No nascimento, os machos pesam em média 42 quilos e as fêmeas, 38. Os touros pesam em média I 200 quilos. e as vacas adultas, 800. Devido à grande rapidez de ganho de peso, bem como à diminuição da porcentagem de depósito de gordura superficial, a raça é muito utilizada em cruzamentos com animais zebuínos. Um exemplo de grande sucesso é a raça canchim. No BrasiL o charolês é bastante difundido no Rio Grande do Sul (75 do rebanho), Paraná e Santa Catarina.
Chianina - Raça italiana originária das províncias de Arezzo, Siena, Perugia. Flo-rença e Pisa. Tem pelagem branca, podendo apresentar pêlos negros ao redor dos olhos e na vassoura do rabo. São de grande porte e os bezerros nascem pesando em média 45 quilos. O rendimento médio da carcaça é de 60. Os machos adultos pesam em média I 200 quilos e as fêmeas, 800. Por sua boa
adaptação ao clima tropical e pelos bons re-sultados obtidos em cruzamentos com ze-buínos, o chianina está sendo criado em São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Pernambuco.


Devon - Originário da região de Cornwall, sudoeste da Inglaterra. Sua pelagemo normalmente ondulada. é vermelha. variando do cereja ao vermelho-alaranjado, sobre a pele amarelo-alaranjada.
Ao nascer, os bezerros machos pesam em média 35 quilos e as fêmeas, 32. Os machos adultos pesam entre 600 e 900 quilos e as fêmeas pesam em média 500. A raça vem sendo usada com bastante sucesso na região Sul, destacando-se por apresentar uma carne de excelente qualidade, com fibras finas, sem excesso de gordura,fator muito valorizado no mercado externo.
Hereford - Originário do condado de Hereford, Inglaterra. Caracteriza-se por apresentar pelagem vermelha e rosto, ventre e extremidades brancas. A variedade mocha (polled hereford) vem sendo muito difundida no país. São considerados animais de grande porte. Os bezerros machos pesam em média, ao nascer, 35 quilos e as fêmeas, 32. As vacas adultas pesam em média 700 quilos e os touros alcançam com facilidade 1 000 quilos. O peso médio de abate, aos 550 dias, é de 470 quilos. Esses animais se adaptam bem em regiões de clima ameno, e sua maior concentração está no Rio Grande do Sul, onde representam 65 do rebanho estadual.
Limousine - Originária da região Sudoeste francesa. Tem pelagem vermelho-amarelada com tendência a clarear no ventre e nas extremidades do corpo. São animais de porte grande, relativamente rústicos e com boa conformação para produção precoce de came. As vacas adultas pesam de 650 a 850 quilos e são bastante férteis. Os touros pesam de I 000 a 1 300 quilos e o rendimento médio da carcaça de machos de quatorze a dezesseis meses é de 70%.

Aprenda mais sobre Gado de Corte
aqui!

Guia Prático de Apicultura - Manejo da Colméia

Depois de instalar seu apiário, você precisa saber como fazer o manejo da colméia de Apis mellifera. Pois existem segredos sem os quais, certamente a produção de mel não seria a desejada,e estes segredos estão disponíveis no conteúdo deste vídeo-curso "Guia Prático de Apicultura - Manejo da Colméia". Guia Prático de Apicultura - Manejo da Colméia

Como resultado final do manejo você aprenderá como colher o mel, o própolis, o pólen e a cera. Tudo mostrado na prática, sem mistérios, como lidar com a colméia!

Conteúdo:
-A abelha
-Enxameação
-Multiplicação artificial de famílias
-União de famílias fracas
-Revisão de colméias
-Pilhagem
-Alimentação artificial
-A importância do manejo do ninho
-A polinização
-Colheita do mel
-Colheita de própolis
-Colheita de pólen
-Substituição de rainhas.

Aprenda mais sobre a criação de abelhas aqui!

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Exercícios para Melhorar o Desempenho do Cavalo

O exercício básico de flexionamento do cavalo, é um dos itens mais importantes da equitação. O cavalo flexionado fica suscetível às ajudas, isto é, fica disponível ao cavaleiro para executar todos os comandos, como também fica "limpo", sem reações indesejáveis aos movimentos.
O cavalo flexionado está praticamente "pronto", está "domado", está preparado para o esporte e lazer.
O cavalo que passa pelos exercícios básicos da ginástica de flexões laterais e frontais chega a ter um rendimento de até 20% a mais no seu desempenho!

Este vídeo é direcionado para cavaleiros de todas as modalidades equestres que desejam aperfeiçoar sua equitação. É também ideal para o cavaleiro amador que busca proporcionar a seu cavalo o melhor trabalho, mesmo que apenas para fins de lazer. O cavalo bem flexionado trará uma significativa melhoria no trabalho do dia-o-dia, culminando em excelentes performances em pista.

Conteúdo:

1 -Baixada de pescoço
2- Cedência à perna
3- Cedência à perna no círculo
4 -Cara ao muro
5 -Espádua a dentro
6 -Apoiar
7 -Recuo
8 -Simulação de Exercícios

Consultoria:
Ito Ricciluca
Treinador

Haras Mineral

Aprenda aqui mais sobre cavalos
MARACUJAZEIRO - Denominação comum a numerosas espécies do gênero Passiflora, da família das passifloráceas, cujas folhas e raízes contêm a passiflorina, utilizada na medicina como calmante. As flores, vistosas, tornam diversas espécies ornamentais e os frutos, doces, acídulos e aromáticos, são razão para seu cultivo:
Passiflora caerulea (maracujá-de-cobra, maracujá-azul), trepadeira ornamental, de flores verdes por fora, alvas e róseas por dentro; originária do Brasil, é cosmopolita. P. edulis (maracujá-azedo, maracujá¬mirim), trepadeira robusta, de frutos alaranjados, polpa comestível, os melhores para sucos. P. lnuriiolie. (maracujá-laranja, maracujá-doce, maracujá-suspiro), trepadeira de frutos grandes, ovóides, comestíveis; ocorre do Brasil à América Central. P. maliformis (maracujá-mamão), trepadeira de frutos globosos, casca dura e polpa com sabor de uva. P. racemosa, trepadeira de flores vistosas, originária do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, cultivada em todo o Brasil como ornamental e para criação de híbridos. P quadrangularis (maracujá-açu, maracujá¬melão), trepadeira de fruto comestível, cultivada em toda a América tropical. P. alata (maracujá-grande), trepadeira robusta, de frutos amarelados, grandes e saborosos.

Veja mais sobre a produção de Maracujá