terça-feira, 17 de outubro de 2017

O haras

O prazer de criar cavalos vem Junto com uma série de responsabilidades. Quanto maior o número de animais, maiores são os cuidados. E aí só tem um Jeito: saber direitinho como montar um haras e lidar com as baias, piquetes, farmácias, galpões ...
Imagine-se montado num ca­valo, galopando pelos campos. A cena, sem dúvida, inspira uma sensação de liberdade e har­monia. Mas o cavalo não se presta apenas a longos e relaxantes pas­seios. Ele também pode ser trei­nado para práticas esportivas como a corrida e o salto, ou para auxiliar diversos trabalhos do campo. Por isso, constitui também um ótimo investimento financeiro. Sua criação, entretanto, exige al­guns cuidados e instalações próprias, que oferecem aos cavalos as condições adequadas para um pleno desenvolvimento. Essas ins­talações são chamadas de haras.

BAIAS
As baias, ou boxes, são compar­timentos individuais destinados ao recolhimento dos animais durante a noite, para descansar e para abri­gá-los das chuvas e ventos. Para que o cavalo fique bem instalado, a cocheira deve ter no mínimo 4x4m. Para as éguas com potro ao
pé, reserve baias um pouco maio­res, com pelo menos 5x5m. Da mesma forma, você vai precisar de uma cocheira-maternidade com 5x5m ou 4x6m, e uma iluminação acessória para auxiliar a hora do parto.
Dentro da baia, você deve colo­car dois cochos, um para água e outro para ração. Faça o piso im­permeabilizado, mas tome cui­dado para não deixá-lo muito liso nem muito áspero, pois poderia ferir os cascos dos cavalos. O prin­cipal é que o animal se sinta à von­tade e que não exista qualquer tipo de risco com relação a quedas ou fraturas.
Um último cuidado que você deve observar é com relação à po­sição da baia e a sua ventilação. O haras pode ser instalado tanto num terreno montanhoso como planto. Entretanto, observe que nas regiões planas as cocheiras de­vem ter a frente voltada para leste ou oeste, no sentido do nascer ou do pôr-do-sol. Já num terreno aci­dentado é necessário observar o curso do vento. Por exemplo, se houver uma montanha nas proxi­midades, não faça a cocheira de frente para ela, pois o vento bate e volta, podendo prejudicar os cava­los. Elas precisam receber a luz so­lar mas dispensam o vento. A ven­tilação da baia, feita através de aberturas, fica numa altura supe­rior à do cavalo, de forma a evitar que correntes de ar o incomodem.

PIQUETES
Além das rações ministradas nas cocheiras, os animais precisam ter acesso ao pasto. Antes disso, entretanto, você deve fazer uma análise do pH do solo. O ideal são terrenos quase alcalinos e ricos em minerais. Quando o pH for muito baixo, significa que as terras são ácidas e precisam ser corrigidas. Uma das formas de corrigir o teor de pH do solo é através da cala­gem, que consiste na colocação de pó de calcário em terra nua. Para uma criação comercial, principal­mente de cavalos destinados a práticas esportivas, também é re­comendável verificar e corrigir o teor específico dos principais mi­nerais presentes no solo. O tipo de pastagem vai depender das condi­ções da região.
Para cercar os piquetes use tábuas com 10cm de espessura pintadas de branco (a cor facilita a visualização por parte do ani­mal). Coloque a primeira tábua a 80cm do solo e a segunda 40cm acima. Se quiser, coloque também uma terceira tábua. Além da ma­deira, pode ser usado arame liso. O inconveniente deste material é que ele cede e arrebenta com mais facilidade. Em hipótese alguma cerque os piquetes com arame far­pado, pois isso pode ocasionar sérios acidentes aos animais.
Em cada piquete instale cochos para água, alimentação e sal. Para evitar desperdícios ou a impregna­ção da água das chuvas, faça-os cobertos ou sob árvores frondosas.

INSTALAÇOES
Além das cocheiras e dos pique­tes, algumas construções facilitam o trabalho no haras. Um pica­deiro, por exemplo, pode ser muito útil para exercitar o gara­nhão, efetuar as domas e fazer as coberturas controladas. Além disso, um armazém para guardar o capim, feno, ração e concentra­dos. Uma selaria para guardar os equipamentos de montaria. Uma farmácia para realizar pequenas operações e curativos. E, no caso de uma criação comercial, um es­critório para tratar das documen­tações e dos assuntos burocráti­cos.

MANUTENÇÃO
Para a criação de 40 cavalos, você vai precisar de aproximada­mente 35 a 40 hectares. Observe, entretanto, que para cada égua de cria que você possuir, devem ser providenciadas cocheiras triplas para abrigar a fêmea e suas duas possíveis crias. Isto se torna desne­cessário se você vender um dos animais adultos depois de cada nascimento. Dessa forma, o potri­nho ficará com a cocheira desocu­pada e sua criação manterá a mesma quantidade de cavalos.

Em termos de pessoal, um haras com 40 cocheiras vai requisitar o trabalho de um treinador, um tratador, um veterinário (que deve comparecer no haras uma vez por semana) e alguns auxiliares. A quantidade de auxiliares varia muito, sendo que uma pessoa especializada chega a cuidar de 20 animais por dia.

SAIBA MAIS SOBRE CAVALOS AQUI



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

A Vaquejada no Brasil

A vaquejada é uma modalidade equestre praticada essencialmente na região nordeste do Brasil.
Dois vaqueiros correm para alcançarem o boi e um deles o derrubar entre duas linhas que se encontra no final da pista.
A videopar tem uma coleção de DVDs que ensina os treinamentos desta modalidade. Onde o renomado treinador, Steve Bezerra mostra suas técnicas.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Raças de Cavalos


Puros-sangues - Originários do planalto central da Ásia, provavelmente da Mesopotâmia, região entre os rios Tigre e Eufrates. Os animais do mais alto nível são criados na Polônia, Estados Unidos, União Soviética e Egito.
Barbo - Ou africano, berbérico, barbaresco, mongol ou mongólico. Originário da Ásia Central .
Alter - Tem origem na raça barbo e se de-senvolveu em Portugal. É animal de sela, com influência de raças nacionais em sua formação.
Anglo-árabe - Um pouco maior que o árabe (média de altura de 1,52 a 1,60 metro), mas de conformação parecida e as mesmas qualidades.
Andaluz - Também chamado puro-san-gue-da-idade-média, esse cavalo espanhol foi bastante difundido pela Europa. Tem aparência uniforme, de linhas bem confor-madas e harmônicas.

Lusitano - O cavalo de Portugal é semelhante à raça andaluz, chegou ao Brasil na década de 70 e impressionou pela silhueta, aprumos perfeitos e temperamento dócil. Utilizado no hipismo, realiza andamentos como passo, marcha trotada, trote e galope 

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

REPRODUÇÃO EM ÉGUAS

REPRODUÇÃO EM ÉGUAS PARA VETERINÁRIOS DE EQUINOS

Guia de trabalho bem ilustrado e conciso sobre a saúde e o manejo reprodutivo de Éguas para médicos Veterinários e estudantes de veterinária.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Arreios para cavalos de vaquejada

Em Arreios para cavalos de vaquejada, Steve Bezerra mostra como utiliza os arreios.  Primeiro na fase inicial da doma  mostrando como  inicia,  flexiona e charreteia os animais e quais os arreios utiliza. Após vem a fase de quando se inicia os flexionamentos na boca e, mostrando também quais são os bridões utilizados.  Depois apresenta os arreios de correção. E por último mostra como gosta de utilizar os freios, o inicio de cada um, o inicio do bocado, cada tipo e como utiliza dentro da vaquejada.

Conteúdo:

1 - Fase de flexionamento
2 - Bridão
3 - Arreios de correção
4 - Fase de freios
5 - Levantadores
6 - Freios fixos
7 - Arreios definitivos
8 - Breques

Consultoria:

Steve Bezerra
Zootecnista e Treinador de Cavalos
Saloá - PE

Tudo sobre vaquejada, clique aqui!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Como Produzir uva de mesa

Como Produzir Uva de Mesa Irrigada - Tipo Exportação - As técnicas mostradas neste vídeo, permitem que você produza 4.800 caixas por hectare com custos muito baixos se comparados com um faturamento potencial de 40 mil dólares. Sao técnicas comprovadas nas melhores produções de uva do semi-árido. Essa região representa uma área de 70% do Nordeste Brasileiro. Sao 13% das terras do Brasil. Além de muita área, tem um clima extraordinário que permite produzir 3 safras ao ano de uva de mesa. Sem dúvida, aí está uma boa alternativa de investimento para o empreendedor rural. Confira você mesmo.

Conteúdo: Implantaçao do parreiral Adubaçao de plantio e produçao Tratos culturais Irrigaçao Produtividade e Fenologia Pragas e Doenças Colheita p/ exportaçao Packing House ou Casa de Embalagem Custos e mao-de-obra.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Curso de Rédeas

Treinamento de Rédeas Avançado

Aprenda com este curso de rédeas avançado como fazer o trabalho de rédeas com um potro novo e como aprimorar um cavalo já treinado.
Controlar o cavalo é dominar seus movimentos!
E não é só guiá-lo, é interagir com ele.
Baseado neste princípio é que é treinado o cavalo para rédeas.
Neste segundo vídeo de rédeas orientado pelo treinador Nélson Rodrigues você vai ver um trabalho totalmente direcionado para conjuntos que já tenham a base de rédeas.
As cobranças, as exigências são muito maiores.
Conteúdo:
Spin
Círculo
Esbarro
Recuo e RollBack
Troca de Mão
Consultor: Nelson Rodrigues
Kit com dois DVD's
Duração Aproximada:
Disco 1 – 50 minutos
Disco 2 – 51 minutos

Saiba mais sobre Rédeas aqui!